sicnot

Perfil

Mundo

Oito mortos em ataque a aldeia na Nigéria atribuído por residentes ao Boko Haram

Oito pessoas foram hoje mortas por homens armados, presumivelmente do grupo terrorista Boko Haram, numa aldeia no estado de Borno, no nordeste da Nigéria, segundo fontes locais citadas pela agência France Presse (AFP).

EPA

"Os homens armados, que pensamos serem do Boko Haram, chegaram à aldeia perto das 21:00 (20:00 em Lisboa) de ontem [quarta-feira] e mataram oito pessoas", declarou Umar Goni, habitante da aldeia de Pompomari.

"Dirigiram-se primeiro à casa do chefe da aldeia, que por sorte não estava, mataram o seu filho, e depois atacaram a casa de um miliciano" anti-Boko Haram, que foi morto com os seus dois filhos, precisou.

"Mataram ainda outro miliciano na sua casa", acrescentou, "e depois dirigiram-se a uma casa de abrigo para refugiados dos ataques do Boko Haram, e abateram três pessoas".

Yuram Bura, um miliciano que combate o grupo terrorista independentemente do exército nigeriano, confirmou o ataque e o número de mortos.

Pompomari situa-se a cerca de 15 quilómetros de Biu, a maior cidade do sul do Borno, o estado mais afetado pela violência extremista no país mais populoso de África.

No início do mês, a aldeia de Miringa, situada a um quilómetro de Pompomari, sofreu um ataque semelhante, quando dois homens armados juntaram durante a noite 11 homens acusados de se recusarem a juntar-se ao Boko Haram, e os executaram.

A violência do grupo terrorista e as campanhas do exército contra os extremistas já causou mais de 15.000 mortos e 1,5 milhões de refugiados na Nigéria desde 2009.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.