sicnot

Perfil

Mundo

Polícia interceta autocarro com 19 crianças no sul de Angola para trabalho infantil

A Polícia angolana impediu o transporte de 19 menores, que estavam a ser levadas para a província do Namibe, supostamente para trabalhos forçados, disse hoje à agência Lusa fonte do Serviço de Investigação Criminal (SIC).

© Finbarr O'Reilly / Reuters

Segundo o porta-voz do SIC, Cristiano Francês, alertada por uma denúncia a polícia deteve em flagrante, por volta da 21:00 de quarta-feira, a viatura que transportava os menores, com idades inferiores a 15 anos para localidades próximas da comuna da Lucira, sul do país.

Cristiano Francês acrescentou que as crianças eram provenientes de Capunda Cavilongo, província da Huíla e estavam a ser transportados num autocarro privado (empresa Socolil), para fazendas na comuna de Lucira.

Em 2013, um camião com 54 crianças foi intercetado pela polícia angolana no sul de Angola, quando presumivelmente se dirigiam para a apanha de tomate, onde iriam trabalhar como mão-de-obra barata.

As crianças, com idades entre os oito e dez anos, eram provenientes do município da Chibia, província da Huíla, e tinham como destino fazendas de tomate na comuna da Lucira, entre o Namibe e Benguela, no sul de Angola.

Na altura, o chefe dos serviços do Instituto Nacional da Criança, Mário Tchova, disse que o fenómeno era recorrente, havendo informações sobre crianças retiradas do interior, concretamente da Huíla, para trabalharem em fazendas junto dos vales do rio Berro e Giraul, nos arredores do Namibe.

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.

  • TAP recruta mais assistentes de bordo
    2:40

    Economia

    A TAP assegura que, até ao final de outubro, os problemas com falta de tripulação vão terminar. Até ao final do ano vão ser contratados novos assistentes de bordo, mas o sindicato diz que não chega.

  • "Um ataque e uma humilhação contra o povo catalão"
    1:35