sicnot

Perfil

Mundo

Sobe para 21 o número de mortos em naufrágio no Rio Nilo

O número de mortos no acidente no Rio Nilo subiu para 21, na sequência do naufrágio de um ''ferry'', que chocou com uma barcaça de transporte fluvial, segundo novo balanço das autoridades egipcías.

© Mohamed Abd El Ghany / Reuter

Cinco pessoas foram resgatadas e hoje de manhã prosseguiam as operações de para encontrar seis passageiros desaparecidos, adiantaram as autoridades, que não precisaram o número total de passageiros do 'ferry'.

O Ministério do Interior tinha inicialmente reportado 15 mortos.

De acordo com as autoridades, os passageiros estavam a comemorar um noivado a bordo de um pequeno barco.

Em fevereiro de 2006, mais de 1.000 passageiros morreram no naufrágio do ferry egípcio "Al-Salam" no Mar Vermelho, o mais mortífero acidente marítimo na história do país.

Os naufrágios de embarcações são relativamente frequentes no Nilo, em especial devido ao precário estado das embarcações e à sobrelotação de passageiros.

Um dos piores acidentes deste tipo, no Egito, ocorreu a 25 de maio de 1983, quando 326 pessoas perderam a vida no Nilo.

Lusa

  • Bombeiros ficaram de prevenção após intoxicação em Corroios
    1:16

    País

    17 alunos da escola EB 2+3 em Corroios, no Seixal, foram hospitalizados esta segunda-feira com sintomas de intoxicação alimentar. Os alunos, entre os 7 e os 14 anos, foram transportados 12 para o hospital Garcia de Orta, em Almada e cinco para o hospital do Barreiro. O transporte foi feito pelos bombeiros voluntários da Amora e do Seixal mantiveram uma equipa de socorro no local apenas por prevenção.

  • "Nada mais há a dizer" sobre a Caixa
    0:13

    Caso CGD

    O primeiro-ministro voltou esta segunda-feira a dizer que já não há nada para discutir, na polémica sobre a entrega de declarações de património dos gestores da CGD. Foram as declarações de António Costa, na Cidade da Praia, à margem da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46