sicnot

Perfil

Mundo

Explosão numa fábrica de pirotecnia faz sete mortos em Itália

Pelo menos sete pessoas morreram esta sexta-feira numa explosão numa fábrica de artigos pirotécnicos, nos subúrbios de Bari, no sul de Itália, de acordo com a edição local do jornal La Repubblica, citado pelas agências noticiosas internacionais.

Os acidentes com artefactos pirotécnicos são relativamente frequentes em Itália. (Arquivo)

Os acidentes com artefactos pirotécnicos são relativamente frequentes em Itália. (Arquivo)

© Eddie Keogh / Reuters

De acordo com os primeiros relatos, terá havido uma explosão inicial numa camioneta, que desencadeou uma série de explosões subsequentes dentro da fábrica que produz os equipamentos para o fogo de artifício.

As explosões duraram cerca de uma hora, obrigando as equipas de resgate a usarem dois aviões Canadair para impedir que o fogo se espalhasse a uma floresta perto do local.

A explosão fez também vários feridos, incluindo um que tem queimaduras graves em cerca de 90% do corpo.

Os acidentes com artefactos pirotécnicos são relativamente frequentes em Itália, lembra a agência de notícias AFP, notando um aumento no número de mortes de ano para ano, mas sem apresentar os números.

Lusa

  • Explosão numa fábrica de pirotecnia na Colômbia faz 2 feridos
    1:36

    Mundo

    A explosão numa fábrica de pirotecnia na Colômbia fez pelo menos dois feridos.A fábrica ficava perto de uma estrada, na região de Granada, 200 quilómetros a sul da capital.O rebentamento, que provocou danos em pelo menos 15 habitações, foi captado em vídeo, por uma equipa de televisão local.

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.