sicnot

Perfil

Mundo

Famílias de 153 chineses condenados a perpétua em Myanmar pedem ajuda a governo

Um grupo de 90 familiares de 153 chineses condenados a prisão perpétuaem Myanmar, antiga Birmânia, por abate ilegal de árvores concentrou-se junto à sede de um governo regional para pedir ajuda, informa hoje o diário Global Times.

© Stringer . / Reuters

O grupo concentrou-se nos arredores da sede do governo de Tengchong, situado a cerca de 50 quilómetros da fronteira com Myanmar, mas não chegou a ser atendido pelas autoridades locais chinesas, contou ao diário Duan Liying, uma das manifestantes, mulher de um dos condenados a prisão perpétua.

"O governo de Tengchong disse-nos várias vezes que esperamos ter mais informação sobre a detenção, que creio que é injusta", afirmou Duan.

Um tribunal da cidade de Myitkyina, capital do estado de Kachin, condenou na quarta-feira a prisão perpétua 153 cidadãos chineses por abate ilegal de árvores e sentenciou outros dois, menores de idade, a dez anos de prisão.

O governo civil birmanês, que herdou o poder da extinta junta militar em 2011, proibiu no ano passado a exportação de madeira em bruto na tentativa de controlar a indústria madeireira.

A China é o principal destino da madeira de Myanmar.

Lusa

  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.