sicnot

Perfil

Mundo

Três partidos comunistas proibidos de concorrer a eleições autárquicas na Ucrânia

O Ministério da Justiça ucraniano proibiu três partidos comunistas de concorrer às próximas eleições autárquicas no país, declarou hoje o ministro Pavlo Petrenko, citado pela emissora Radio Free Europe.

© Francois Lenoir / Reuters

O Partido Comunista da Ucrânia (KPU), o Partido Comunista dos Trabalhadores e Camponeses Ucranianos (KPRS) e o Partido Comunista da Ucrânia Reformado (KPU-O) não poderão assim participar nas eleições locais agendadas para 25 outubro deste ano.

O ministro acrescentou que irá apresentar à justiça uma proposta para banir formalmente os partidos.

Segundo a Radio Free Europe, financiada pelo governo norte-americano, o Partido Comunista Ucraniano (KPU) tem sido uma força importante na política do país, alcançando 13% dos votos nas eleições parlamentares de 2012.

A popularidade do partido afundou após o seu apoio ao ex-Presidente Viktor Yanukovych, derrubado em fevereiro de 2014 por protestos pró-europeus.

Nas eleições parlamentares de outubro de 2014, o KPU obteve menos de 4% dos votos.

A Ucrânia aprovou várias leis em abril banindo o uso de símbolos da era soviética e denunciando a ideologia comunista, aplicando o mesmo tratamento legal aos símbolos e ideologia nazi.

O líder do Partido Comunista da Ucrânia, Petro Symonenko, respondeu à proibição afirmando que o seu partido planeia participar nas eleições, apesar da decisão ministerial.

A decisão foi caraterizada pelo líder do Partido Comunista Russo, Gennady Zyuganov, como sendo "pura arbitrariedade e uma retaliação contra oponentes políticos".

Após a remoção de Viktor Yanukovych do poder, foram organizadas eleições locais antecipadas em 2014, que devido à instabilidade do país não puderam ser realizadas em todas as regiões do país.

As eleições de outubro deverão ser realizadas em todas as regiões administradas pelo governo ucraniano, excluindo a região da Crimeia, entretanto anexada pela Rússia, e as áreas das regiões de Donetsk e Lugansk ocupadas por separatistas pró-russos em conflito com o governo central.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.