sicnot

Perfil

Mundo

Vacina contra a malária aprovada pela Agência Europeia do Medicamento

A primeira vacina contra a malária foi hoje aprovada pela Agência Europeia do Medicamento. Os reguladores europeus confirmam que a vacina pode e deve ser administrada no combate à doença. Transmitida por um mosquito, a malária infeta cerca de 200 milhões de pessoas por ano e mata mais de 500 mil crianças em todo o mundo.

© Jim Young / Reuters

A maior parte dos casos de contágio acontece na África subsariana, onde em média morre uma criança por minuto.

A vacina está em desenvolvimento há 30 anos e foi cofinanciada pela Fundação de Bill Gates e da mulher, Melinda. Até ao momento já foram investidos mais de 500 milhões de euros neste fármaco.

Falta agora receber luz verde da Organização Mundial de Saúde e das autoridades nacionais de saúde africanas para que a medicação possa ser implementada.

  • Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta pelo olhar de uma portuguesa
    3:20

    Mundo

    A guerra do Congo, que opõe milícias rebeldes ao regime de Kabila, já dura há 20 anos e fez seis milhões de mortos, quatro milhões de deslocados internos e um número crescente de refugiados. Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta tem levado milhares de civis a passar a fronteira para Angola. A médica portuguesa Ana Paula Cruz testemunhou o drama silencioso dos congoleses nos campos de refugiados da Lunda Norte.

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05