sicnot

Perfil

Mundo

Artilharia turca volta a atacar posições do PKK no norte do Iraque

A artilharia turca voltou hoje a bombardear posições do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no norte do Iraque, ataques que comprometeram o processo de paz entre Ancara e os rebeldes, noticiaram os 'media' turcos.

EPA

Os ataques de hoje foram lançados a partir de Dingle, no extremo sul da Turquia, e visaram durante várias horas alvos situados próximo da fronteira iraquiana, referiu a agência Dogan, citando testemunhas.

As forças turcas já tinham lançado vários ataques a bases do PKK no norte do Iraque na noite de sexta-feira para sábado.

O PKK afirmou que os bombardeamentos foram "uma agressão" e considerou que "romperam as condições de cessar-fogo" mantidas desde 2013.

Horas mais tarde, no sábado à noite, a explosão de um carro armadilhado provocou a morte de dois soldados turcos e feriu quatro na província maioritariamente curda de Diyarbakir, um ataque que as forças turcas atribuíram ao movimento separatista curdo.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38