sicnot

Perfil

Mundo

Egito prolonga estado de emergência no Sinai após atentado que faz 18 feridos

O Egito prolongou hoje por três meses o estado de emergência em partes da península do Sinai, após um atentado bombista reivindicado pelos 'jihadistas' do Estado Islâmico ter ferido 18 polícias na região destruída pelos rebeldes.

EPA

O atentado ocorreu numa estrada perto de El-Arish, a capital da província do norte do Sinai, onde o exército está a combater elementos do grupo extremista Estado Islâmico (EI), de acordo com responsáveis da segurança, que indicaram que os agentes policiais estavam de licença.

Um responsável do ministério da Saúde egípcio, Tarek Khater, precisou que os feridos se encontram estabilizados num hospital militar da cidade.

A afiliada egípcia do EI reivindicou a autoria do atentado.

"Depois de o Governo ter prolongado o estado de emergência e o recolher obrigatório em El-Arish, soldados do califado conseguiram fazer explodir um autocarro que transportava um grupo de agentes da polícia apóstata", afirmou o grupo em comunicado divulgado em contas da rede social Twitter ligadas ao EI.

As forças de segurança egípcias têm sido frequentemente alvo de ataques reivindicados pelos 'jihadistas' do EI no norte do Sinai desde que os militares derrubaram o Presidente islâmico Muhamed Morsi, em 2013.

O primeiro-ministro egípcio, Ibrahim Mahlab, disse no sábado à noite que o prolongamento do estado de emergência pela terceira vez era necessário devido à "perigosa situação da segurança".

O estado de emergência foi inicialmente declarado em algumas zonas da península em outubro de 2014, após a morte de 30 soldados num atentado perto de El-Arish.

A região é um bastião do grupo 'jihadista' Província do Sinai que, em novembro, jurou lealdade ao EI.

Centenas de polícias e soldados egípcios morreram em ataques. As Forças Armadas afirmam ter matado mais de 1.000 'jihadistas' no Sinai desde que Morsi foi deposto.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.