sicnot

Perfil

Mundo

Reino Unido pode referendar permanência na UE em junho de 2016

O jornal Independent on Sunday noticiou hoje, citando uma fonte anónima, que o primeiro-ministro britânico pretende realizar o referendo sobre a permanência do país na UE em junho do próximo ano.

David Cameron, primeiro-ministro britânico

David Cameron, primeiro-ministro britânico

© Darren Staples / Reuters

O "The Independent on Sunday foi informado que David Cameron decidiu junho do próximo ano", afirmou na edição de domingo, citando uma fonte anónima.

Uma porta-voz do gabinete do primeiro-ministro britânico em Downing Street escusou comentar a notícia.

O jornal acrescentou que Cameron deverá anunciar a data do referendo durante a conferência anual do Partido Conservador, em outubro. Não foi possível obter uma reação do partido.

Cameron tinha prometido renegociar os termos da permanência do Reino Unido no bloco europeu antes de realizar um referendo até final de 2017.

A crise na Grécia, durante a qual se colocou a hipótese do país sair da zona euro, influenciou a decisão de antecipar o referendo, o que impedirá a consulta britânica de ser uma questão política nas eleições em França e na Alemanha em 2017, de acordo com o The Independent on Sunday.

David Cameron afirmou já que fará campanha a favor da continuação do Reino Unido na UE, mas está a tentar alterar a legislação que permite que cidadãos dos 28 possam aceder à segurança social britânica, aumentar os poderes de Londres e a possibilidade de recusar maior integração política do bloco.

No mês passado, a Câmara dos Comuns aprovou legislação necessária à realização do referendo, mas que ainda não foi analisada pela Câmara dos Lordes.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41