sicnot

Perfil

Mundo

Aviões da coligação saudita no Iémen atacam forças aliadas por engano

Aviões da coligação militar liderada pela Arábia Saudita atacaram esta segunda-feira posições dos seus aliados pró-governamentais do Iémen por engano, matando 12 pessoas, segundo fontes das forças do governo iemenita citadas pela agência France Presse (AFP).

Testemunhas e fontes da milícia pró-governamental Resistência Popular confirmaram os ataques.

Testemunhas e fontes da milícia pró-governamental Resistência Popular confirmaram os ataques.

© Stringer Shanghai / Reuters

Os ataques acontecem horas após o começo de uma trégua de cinco dias anunciada pela coligação, para permitir a entrada de ajuda humanitária no país.

Pelo menos 30 pessoas ficaram ainda feridas devido à operação aérea na província de Lahj, onde forças do governo de Abdrabuh Mansur Hadi, reconhecido internacionalmente e apoiado pelos sauditas, têm ganho terreno ao grupo xiita Huthi, apoiado pelo Irão.

Testemunhas e fontes da milícia pró-governamental Resistência Popular confirmaram os ataques.

A AFP não conseguiu obter comentários de fontes oficiais da coligação saudita sobre o sucedido.

Ao anunciar o cessar-fogo unilateral, a coligação reservou o direito de responder a atividade militar ou movimentos dos Huthis e seus aliados.

Segundo as Nações Unidas, o conflito no Iémen já causou cerca de 5.500 mortos, 1.690 dos quais civis.

Lusa

  • Pecado da gula ameaça maior anfíbio do mundo

    Mundo

    O maior anfíbio do mundo está em sério risco de extinção. Iguaria muito apreciada no Oriente, a salamandra-gigante-da-China já praticamente desapareceu do seu habitat natural, concluiu uma pesquisa realizada durante quatro anos. Em contraste, milhões de animais são reproduzidos em cativeiro e têm como destino restaurantes de luxo.

  • Gilberto Gil cancela atuação em Israel

    Cultura

    O músico brasileiro Gilberto Gil cancelou a atuação que tinha marcada para Telavive, em Israel, no dia 4 de julho, na sequência de protestos em Gaza durante os quais o exército daquele país matou 60 palestinianos.