sicnot

Perfil

Mundo

EUA retiram Cuba da lista de países ineficazes contra o tráfico humano

Os Estados Unidos da América (EUA) retiraram Cuba da lista de países que pouco fazem no combate ao tráfico humano, anunciou hoje o Departamento de Estado dos EUA.

© POOL New / Reuters

Cuba estava há dez anos nesta lista, onde se mantêm países como a Venezuela.

A decisão norte-americana surge uma semana depois da reconciliação diplomática entre os EUA e Cuba e dois meses após a remoção de Cuba da lista dos países que incentivam o terrorismo.

"O governo de Cuba não cumpre integralmente as condições mínimas para a eliminação do tráfico, mas está a fazer esforços significativos nesse sentido", diz-se no relatório do Departamento de Estado dos EUA.

Apesar das explicações do Departamento, o congressista republicano Chris Smith, um dos mais ativos na questão da luta ao tráfico, afirmou, num comunicado, que a alteração foi feita "apenas por razões políticas", dizendo que Cuba nada fez para merecer esta alteração.O relatório sobre o tráfico de seres humanos do Departamento de Estado analisa a situação em 188 países em todo o mundo, avaliando as medidas que os seus governos implementam para controlar ou eliminar este flagelo.Na "lista negra" do relatório estão ainda a Venezuela, Belize, Guiné Equatorial, Rússia, Irão, Coreia do Norte, Síria, Argélia, Burundi, República do Centro Africano, Eritreia, Gâmbia, Guiné-Bissau, Kuwait, Líbia, Mauritânia, Sudão do Sul, Tailândia, Iémen, Zimbábue, Bielorrússia, as Ilhas Marshall e os Camarões.

O presidente dos EUA, Barack Obama, tem agora 90 dias para decidir se deseja aplicar sanções aos países ainda presentes nesta lista.

Lusa

  • Hospitais vão ser penalizados se não cumprirem tempos de espera
    2:37

    País

    O Ministério da Saúde vai penalizar os hospitais que não cumprem os tempos de espera nas urgências e que tenham taxas elevadas de cesarianas. O novo modelo de financiamento prevê ainda linhas de financiamento próprio para a obesidade e rastreios do cancro do cólon e do colo do útero.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26