sicnot

Perfil

Mundo

Intensos combates entre forças do Chade e o grupo radical islâmico Boko Haram

Guerrilheiros do grupo islamita nigeriano Boko Haram e forças do exército chadiano travaram violentos combates nas ilhas do lago Chade, noticiou a AFP citando fontes concordantes.

© Stringer . / Reuters

"As nossas forças intercetaram durante a manhã elementos do Boko Haram em fuga", a cerca de 20 quilómetros de Baga Sola, uma das principais cidades da região, disse à AFP uma fonte da segurança chadiana, precisando que "violentos combates" continuavam ao fim da tarde.

Segundo a fonte, um primeiro confronto opôs soldados e rebeldes, no sábado, em Midi Koutou e provocou seis mortos e 15 feridos entre os elementos do grupo radical. Um soldado do Chade também morreu.

Quando fugiram da região no sábado, os combatentes do Boko Haram "levaram muitas mulheres e crianças", afirmou a fonte, sem poder adiantar um número.

De acordo com a mesma fonte, "cerca de mil homens (das forças de segurança e defesa) estão posicionadas para ocupar todas as ilhas e neutralizar o Boko Haram".

Uma outra fonte das autoridades locais confirmou que foi lançada uma grande operação na região e que o governo ordenou a retirada das populações.

Lusa

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.