sicnot

Perfil

Mundo

Putin lamenta falta de "independência" da Europa face aos Estados Unidos

O Presidente russo Vladimir Putin lamentou esta segunda-feira a falta de "independência" da Europa face aos Estados Unidos, numa entrevista à radiotelevisão suíça (RTS), em linha a partir de hoje na sua página na Internet.

Putin critica o papel desempenhado pelos Estados Unidos na corrida aos armamentos e a sua ação contra a FIFA, que considerou "inaceitável".

Putin critica o papel desempenhado pelos Estados Unidos na corrida aos armamentos e a sua ação contra a FIFA, que considerou "inaceitável".

© RIA Novosti / Reuters

Interrogado sobre a eventualidade de uma nova guerra na Europa, Putin disse "esperar que não", acrescentando que gostaria "que a Europa manifestasse de forma mais incisiva a sua independência e a sua soberania".

Em relação à França, e às suas ligações com a NATO, o Presidente russo acrescentou que "é um pouco curioso termos de ir a Washington para discutir assuntos internos com os nossos parceiros europeus".

Neste entrevista concedida à RTS no sábado em São Petersburgo, Putin também critica o papel desempenhado pelos Estados Unidos na corrida aos armamentos, e a sua ação contra a FIFA, que considerou "inaceitável". Em 2018, a Rússia acolhe o Campeonato do Mundo de futebol.

"O relançamento" da corrida aos armamentos "tem origem na saída unilateral dos Estados Unidos do tratado antimísseis balísticos. Este tratado era a pedra angular de todo o sistema de segurança internacional", assinalou.

Numa referência ao escândalo que abalou a FIFA, desencadeado pelos Estados Unidos, Vladimir Putin acusou Washington de atuar de acordo com os seus interesses.

"Os Estados Unidos, julgo saber, eram candidatos para receber o campeonato do mundo em 2022. Os seus aliados mais próximos na Europa, o Reino Unido, eram candidatos para 2018. E esta luta contra a corrupção, da forma como foi conduzida, leva-me a pensar se não terá sido uma continuação da disputa pelo campeonato do mundo de 2018 e 2022", disse.

"Em qualquer caso, um país, seja grande ou pequeno, não pode passear-se pelo mundo e interpelar quem entender, e trazê-lo para as suas prisões", acrescentou.

A pedido dos Estados Unidos, que desencadeou contra os suspeitos um processo judicial por corrupção, sete altos funcionários da FIFA foram interpelados em maio na cidade suíça de Zurique e colocados sob detenção.

Interrogado ainda sobre a ascensão dos partidos de extrema-direita na Europa, com alguns dos seus líderes a elogiarem a política do Kremlin, Putin respondeu: "No mundo e nos países europeus observamos alterações tectónicas na opinião pública. E que vão no sentido de uma crescente defesa dos interesses nacionais".

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.