sicnot

Perfil

Mundo

Cura para insuficiência hepática pode estar no transplante de células

Um grupo de investigadores escoceses conseguiu pela primeira vez transplantar células estaminais cultivadas laboratorialmente e regenerar o fígado de ratos.

© Denis Balibouse / Reuters

Este feito poderá ser a cura do futuro para a insuficiência hepática, disse à Lusa um dos cientistas.

Foi a primeira vez que os investigadores conseguiram comprovar que as células estaminais do fígado podem regenerar o órgão até certo ponto, disse à Lusa o chefe da investigação, Stuart Forbes, da Universidade de Edimburgo.

"Esta pesquisa tem o potencial de revolucionar os cuidados ao paciente, encontrando formas de optar por recursos do seu próprio corpo para reparar ou substituir os tecidos danificados ou doentes", acrescentou o professor de transplantação e medicina regenerativa do Centro de Pesquisa Médica (MRC na sigla inglesa) do conselho de Medicina Regenerativa da Universidade de Edimburgo.

"O fígado tem uma grande capacidade de se autorregenerar, até cerca de 70 por cento do seu volume, mas em situações como cirrose e insuficiência hepática aguda fica demasiado danificado para o fazer", referiu.

"Os danos no fígado ocorrem por diversas causas, incluindo doenças genéticas, infeções virais, doenças do sistema imunológico, obesidade, consumo excessivo de álcool ou de droga", salientou Stuart Forbes, que é também o consultor hepatologista da Unidade Escocesa de transplante de fígado, referindo que se a afetação do órgão for muito grave, tal pode levar à insuficiência hepática.

Quando o problema se torna crónico aumenta também a possibilidade de cancro do fígado, insistiu, sublinhando que o colangiocarcinoma - cancro do ducto biliar [rede de tubos que drena as toxinas do fígado] afeta cerca de 1.000 pacientes por ano no Reino Unido.

"Muitas vezes, [essa doença] é diagnosticada em estado avançado, tornando-se muito difícil tratar através da cirurgia, e por normalmente não responder à quimioterapia", apontou o especialista.

Perante lesão hepática grave, os hepatócitos [principais células do fígado, que o desintoxicam e produzem as proteínas essenciais] envelhecem e tornam-se incapazes de se dividirem de forma a espalharem-se pelo órgão, regenerando-o.

"Ainda não conseguimos reproduzir hepatócitos em laboratório", referiu o especialista, salientando contudo que, "se os avanços científicos alcançados nos ratos se repetirem em seres humanos, a redução das cicatrizes do fígado por lesões hepáticas graves e a alternativa ao transplante de fígado poderá estar na transplantação de células estaminais".

Demorará algum tempo até tal ser possível, acrescentou, sublinhando que "isso significaria uma cura a partir de dentro", cujo desenvolvimento é extremamente necessário dado a doença do fígado ser uma causa de morte muito comum para pacientes do Reino Unido e do resto do mundo.

Com Lusa

  • Cerca de 100 mortos e dezenas de desaparecidos após sismo na Indonésia
    1:24
  • As camisolas de Natal da família real britânica

    Mundo

    O espírito natalício invadiu ontem o Museu Madame Tussauds, em Londres. Foram reveladas as novas figuras de cera da família real britânica - cada membro enverga uma camisola de espírito festivo, com cãezinhos "reais" e "gingerbreadmen" de gosto duvidoso.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • As novas rotas da TAP em 2017
    1:59

    Economia

    No próximo ano, a TAP vai passar a voar para o Canadá. Além de Toronto, a companhia aérea vai também abrir cinco novas rotas para a Europa e aumentar algumas frequências. Fique a conhecer quais são.

  • Com este vamos arrancar-lhe uma lagriminha!

    Mundo

    Nesta redação, não se vive só de notícias. Também gostamos de nos emocionar com o mundo virtual. Imbuídos pela quadra natalícia, decidimos partilhar este vídeo polaco consigo. O que é preciso para o emocionar? Um tema com uma mensagem simples e que nos faça lembrar que somos todos feitos de carne e osso. Um toque de humor. Um sentimento sazonal, mas nunca em excesso. Um cão [é preciso haver sempre um cão]. Um enredo e algum suspense que nos prenda ao écran. Algo que nos faça engolir em seco. Foi isto que fez um site de vendas online com um anúncio com o título: "Inglês para principiantes". Então? Atingimos o nosso objetivo? Com ou sem lágrima?

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54
    Futuro Hoje

    Futuro Hoje

    3ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    A Leica, das famosas máquinas fotográficas, abriu na semana passada a primeira loja em Portugal. Grande parte da produção da marca alemã é feita em Lousado, em Vila Nova de Famalicão, há 43 anos.