sicnot

Perfil

Mundo

Israel autoriza construção imediata de 300 habitações em colonato na Cisjordânia

O primeiro-ministro israelita anunciou hoje ter autorizado a construção imediata de 300 habitações na Cisjordânia ocupada, relançando a colonização vista pela comunidade internacional como o principal obstáculo à paz.

Família judia que mora no colonato Beit El na Cisjordânia.

Família judia que mora no colonato Beit El na Cisjordânia.

© Ronen Zvulun / Reuters

"Após consultas, a construção imediata de 300 habitações em Beit El foi autorizada", indica um comunicado, que anuncia também "o planeamento" de mais de 500 habitações em Jerusalém Oriental, parte palestiniana da cidade.

A decisão Benjamin Netanyahu foi divulgada quando o exército procedia hoje à destruição de duas casas em construção em Beit El, um colonato na Cisjordânia próximo de Ramallah, na sequência de uma decisão judicial.

Estas demolições resultaram em confrontos entre colonos e forças de segurança israelitas, de acordo com um fotógrafo da agência noticiosa francesa AFP.

No mês passado, o supremo tribunal israelita ordenou a demolição de dois edifícios e rejeitou esta manhã o recurso apresentado pelo empreiteiro contra a destruição.

O gabinete do primeiro-ministro israelita acrescentou que esta última autorização refere-se a "uma construção prometida há três anos pelo Governo israelita, na sequência da demolição de casas na colina de Ulpena", um bairro de Beit El onde colonos tinham construído ilegalmente.

Quanto ao projeto em Jerusalém Oriental, Netanyahu "autorizou o planeamento de habitações em Pisgat Zeev, Ramot, Guilo e Har Homa", bairros de colonos na parte ocupada e anexada por Israel desde 1967.

Perto de 400 mil colonos israelitas vivem atualmente na Cisjordânia ocupada e, dez anos depois da retirada unilateral israelita da Faixa de Gaza, uma maioria dos israelitas defende o reinício da colonização de Gaza.

Para a comunidade internacional, a colonização de Israel dos territórios palestinianos é o principal obstáculo a um processo de paz "esquecido" há vários anos.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.