sicnot

Perfil

Mundo

Homem esfaqueou seis pessoas em marcha de orgulho gay em Jerusalém

Um judeu ultraortodoxo, que em 2005 feriu três pessoas durante a marcha de orgulho gay em Jerusalém, voltou hoje a atacar a edição deste ano na cidade, esfaqueando seis pessoas.

© ERIC THAYER / Reuters

Três pessoas foram feridas com gravidade e outras três de forma ligeira por Yiashaï Shlissel, saído da prisão há apenas três semanas após cumprir 10 anos pelo ataque anterior, segundo fonte oficial citada pela agência France Presse (AFP).

O atacante "começou a apunhalar as pessoas, e rapidamente vários polícias se lançaram para cima dele, imobilizando-o numa questão de segundos", afirmou à agência espanhola EFE uma testemunha, que acrescentou que o episódio provocou "muito sangue".

Cerca de 5.000 pessoas marcharam hoje em Jerusalém para reivindicar os direitos da comunidade LGBT, um evento protegido por centenas de agentes de segurança.

Numa das primeiras reações ao incidente, o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, condenou o ataque em comunicado.

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.