sicnot

Perfil

Mundo

Talibãs afegãos confirmam morte do seu líder mullah Omar

Os talibãs confirmaram hoje em comunicado morte do seu líder mullah Omar, um dia após ter sido anunciada pelo Governo afegão.

Notícia no site The Tolonews sobre a morte de mullah Omar em Cabul a 23 de maio de 2011.

Notícia no site The Tolonews sobre a morte de mullah Omar em Cabul a 23 de maio de 2011.

© Ahmad Masood / Reuters

"A liderança do Emirado islâmico e a família de mullah Omar anunciam que o líder mullah Omar morreu devido a doença", refere a declaração dos talibãs, que utiliza o nome oficial do movimento.

Pouco antes deste anúncio, o Paquistão tinha confirmado o adiamento da segunda ronda de conversações de paz entre o Governo de Cabul e os talibãs, um dia após as autoridades afegãos terem admitido a morte chefe histórico dos rebeldes.

No decurso destas conversações, previstas para sexta-feira em território paquistanês, o governo afegão deveria começar a negociar um cessar-fogo com os talibãs, indicaram esta semana responsáveis oficiais em Cabul.

"Devido às informações relacionadas com a morte do 'mullah' Omar e a da incerteza que suscitou, é adiada a segunda ronda de conversações de paz afegãs", tinha indicado em comunicado o Ministério dos Negócios Estrangeiros paquistanês.

"O Paquistão e os outros países amigos do Afeganistão esperam que a liderança dos talibãs continue empenhada nas conversações para que seja alcançada uma paz duradora no Afeganistão", acrescenta, que também acusa, sem as designar, "forças mal-intencionadas" de pretenderem o colapso deste processo de reconciliação.

Os talibãs e o Governo de Cabul promoveram as primeiras conversações diretas oficiais no início do mês de julho em Murree, perto da capital paquistanesa Islamabad, sob a supervisão dos Estados Unidos e China.

Mas na terça-feira, a dois dias de uma nova ronda de negociações, as autoridades afegãs anunciaram que o chefe supremo do talibans, o misterioso 'mullah' Omar, morreu em abril de 2013 num hospital de Karachi, a metrópole do Paquistão, país regularmente acusado de apoiar a insurreição dos talibãs afegãos.

Lusa

  • Pagaram 10 libras por diamante que vale milhares

    Mundo

    Há 30 anos um comprador adquiriu um anel de diamantes de 26.27 quilates por apenas 10 libras (cerda de 11 euros) numa feira em Isleworth, no oeste Londres. O proprietário passeou durante três décadas com uma peça que valia cerca de 350.000 libras (407.000€) e não sabia. Confessa que até a usava durante as tarefas domésticas.

    SIC

  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.

  • Caçador morre esmagado por elefante

    Mundo

    Um famoso caçador morreu na sexta-feira após ser esmagado por um elefante quando estava a caçar. A morte foi confirmada pelas autoridades do Zimbabué, que adiantaram ainda que o animal foi morto por um dos caçadores do grupo de Theunis Botha.