sicnot

Perfil

Mundo

Estado de emergência na Tunísia prolongado por dois meses

A Presidência da Tunísia anunciou hoje que o estado de emergência que vigora desde o passado 04 de julho naquele país, devido à ocorrência de diversas ameaças de atentados 'jihadistas', será prolongado por dois meses.

© Anis Mili / Reuters

"Após consultas com o chefe do governo e o presidente do parlamento, o Presidente da República decidiu prolongar o estado de emergência em todo o território por dois meses a partir de 03 de agosto de 2015", indicou um breve comunicado.

A Presidência tunisina não especificou se a decisão de prolongar esta medida excecional está relacionada com alguma ameaça específica.

A 04 de julho, oito dias depois do mais mortífero ataque 'jihadista' na história da Tunísia, Beji Caid Essebsi decretou o estado de emergência por causa "da situação excecional que o país enfrentava após o último ataque [perpetrado a 26 de Junho] e a persistência das ameaças que o colocam numa guerra".

A 26 de junho, mais de 30 turistas, incluindo uma portuguesa, foram mortos por um estudante tunisino armado com uma Kalachnikov que abriu fogo num hotel em Port El Kantaoui, em Sousse, uma zona turística na costa oriental da Tunísia.

O atentado foi reivindicado pelo grupo autoproclamado Estado Islâmico (EI), como outro ataque que também visou turistas no Museu Bardo, em Tunes, a 18 de março.

O estado de emergência confere poderes de exceção às forças de segurança. Por exemplo, as autoridades podem proibir greves ou reuniões "passíveis de provocar ou manter a desordem", fechar temporariamente "salas de espetáculos ou outros estabelecimentos de entretenimento" ou "tomar todas as medidas para assegurar o controlo da imprensa e publicações de qualquer tipo".

Desde a revolução de 2011, que ditou a queda do ditador Zine El Abidine Ben Ali e o início do movimento revolucionário que ficou conhecido como "Primavera Arábe", a Tunísia enfrenta uma progressão do movimento 'jihadista', já responsável pela morte de dezenas de polícias e militares.

Após a deposição de Ben Ali, os tunisinos viveram durante mais de três anos sob um estado de emergência, entre janeiro de 2011 a março de 2014.

Lusa

  • Costa preparado para falar da renegociação da dívida no plano europeu
    2:24

    País

    O primeiro-ministro não quer quebrar com as regras impostas pela UE e não vai dar o primeiro passo na renegociação da dívida, mas estará na linha da frente quando Bruxelas ceder. Em entrevista à RTP, António Costa garante que o Governo cumpriu tudo aquilo que acordou com o presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos, António Domingues.

  • Nova Deli é "altamente tóxica" para os cidadãos

    Mundo

    Nova Deli foi considerada altamente tóxica para os cidadãos. A capital da Índia é considerada há mais de três anos a cidade mais poluída do mundo, mas só este ano se concluiu que é tão tóxica que é capaz de provocar doenças crónicas a quem lá vive.