sicnot

Perfil

Mundo

Estado de emergência na Tunísia prolongado por dois meses

A Presidência da Tunísia anunciou hoje que o estado de emergência que vigora desde o passado 04 de julho naquele país, devido à ocorrência de diversas ameaças de atentados 'jihadistas', será prolongado por dois meses.

© Anis Mili / Reuters

"Após consultas com o chefe do governo e o presidente do parlamento, o Presidente da República decidiu prolongar o estado de emergência em todo o território por dois meses a partir de 03 de agosto de 2015", indicou um breve comunicado.

A Presidência tunisina não especificou se a decisão de prolongar esta medida excecional está relacionada com alguma ameaça específica.

A 04 de julho, oito dias depois do mais mortífero ataque 'jihadista' na história da Tunísia, Beji Caid Essebsi decretou o estado de emergência por causa "da situação excecional que o país enfrentava após o último ataque [perpetrado a 26 de Junho] e a persistência das ameaças que o colocam numa guerra".

A 26 de junho, mais de 30 turistas, incluindo uma portuguesa, foram mortos por um estudante tunisino armado com uma Kalachnikov que abriu fogo num hotel em Port El Kantaoui, em Sousse, uma zona turística na costa oriental da Tunísia.

O atentado foi reivindicado pelo grupo autoproclamado Estado Islâmico (EI), como outro ataque que também visou turistas no Museu Bardo, em Tunes, a 18 de março.

O estado de emergência confere poderes de exceção às forças de segurança. Por exemplo, as autoridades podem proibir greves ou reuniões "passíveis de provocar ou manter a desordem", fechar temporariamente "salas de espetáculos ou outros estabelecimentos de entretenimento" ou "tomar todas as medidas para assegurar o controlo da imprensa e publicações de qualquer tipo".

Desde a revolução de 2011, que ditou a queda do ditador Zine El Abidine Ben Ali e o início do movimento revolucionário que ficou conhecido como "Primavera Arábe", a Tunísia enfrenta uma progressão do movimento 'jihadista', já responsável pela morte de dezenas de polícias e militares.

Após a deposição de Ben Ali, os tunisinos viveram durante mais de três anos sob um estado de emergência, entre janeiro de 2011 a março de 2014.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.