sicnot

Perfil

Mundo

Incêndio provocado por colonos israelitas mata bebé palestiniano

A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) considerou hoje o Governo israelita "completamente responsável" pela morte de um bebé, vítima de um incêndio provocado por quatro colonos na Cisjordânia. O primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu classificou o incêndio "um ato de terrorismo em todos os aspetos".

© Abed Omar Qusini / Reuters

Organização para a Libertação da Palestina culpa governo israelita por morte de bebé

"Consideramos o governo israelita totalmente responsável pelo assassínio brutal do bebé Ali Saad Dawabsha", afirmou o responsável da OLP Saeb Erekat, em comunicado.

"Isto é uma consequência direta de décadas de impunidade permitida pelo governo israelita face ao terrorismo nos colonatos", acrescentou.

O bebé de 18 meses morreu e os seus pais ficaram feridos, na madrugada de hoje, vítimas de um incêndio na sua casa, provocado por israelitas na Cisjordânia, informaram hoje as forças de segurança palestinianas.

Segundo as autoridades, quatro israelitas pegaram fogo à casa, na localidade de Doma, e marcaram as paredes com graffiti, antes de fugirem do local.

PM israelita considera incêndio que matou bebé palestiniano "ato de terrorismo"

"Estou chocado com este ato condenável e horrendo. Isto é um ato de terrorismo em todos os aspetos", declarou Netanyahu, em comunicado.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.