sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 1.700 imigrantes impedidos de chegar ao Eurotúnel esta madrugada

Cerca de 1.700 imigrantes foram impedidos de chegar ao túnel do canal da Mancha, entre a noite de domingo e segunda-feira, perto de Calais, no norte da França, ficando um polícia ferido por uma pedra nesta operação.

© Pascal Rossignol / Reuters

Entre estas tentativas, cerca de mil pessoas foram impedidos de entrar na área de acesso ao túnel pelas forças de segurança e outros 700 foram intercetados já no interior desta mesma área, segundo uma fonte policial.

Um membro das forças de ordem foi ferido "no rosto e na cabeça" por uma pedra que estava na zona dos carris, tendo sido transportado para o hospital para ser suturado. O imigrante que arremessou a pedra, um sudanês, foi detido pela polícia no local.

O eurotúnel, que liga a França ao Reino Unido, vem sofrendo tentativas massivas de invasão, há semanas, de imigrantes que querem passam para o lado britânico.

O número de tentativas tinha diminuído durante o fim de semana, para cerca de 400, nomeadamente pela menor circulação de camiões.

A situação é dramática e 10 imigrantes já morreram nestas tentativas desde junho.

Para reforçar a segurança, o ministro do Interior francês, Bernard Cazaneuve, anunciou na quarta-feira um reforço de 120 polícias, em apoio aos 300 que já fazem a segurança no local.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.