sicnot

Perfil

Mundo

Guerrilha do PKK reivindica ataque suicida contra polícia militarizada turca

A guerrilha do interdito Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) reivindicou hoje o atentado suicida contra uma caserna da polícia militarizada turca no leste do país, que disse ser uma represália pelo alegado bombardeamento de uma aldeia civil.

© Umit Bektas / Reuters

O ataque com um trator armadilhado, no domingo de manhã perto da cidade de Dogubayazit, "foi realizado para vingar o massacre de Zerkal", uma localidade no norte do Iraque próxima da zona de refúgio dos rebeldes, indicou num comunicado o braço armado do PKK.

O movimento divulgou o nome, Andok Eris, e uma fotografia do "mártir" que realizou a operação, com o rosto tapado com um lenço e a pousar diante da bandeira do PKK.

A guerrilha disse que o ataque causou mais de 50 mortos nas fileiras das forças da ordem, enquanto um balanço oficial turco indicou dois soldados mortos e 31 feridos, quatro dos quais com gravidade.

Fontes curdas informaram que 10 civis, incluindo "várias crianças", foram mortos e 15 ficaram feridos em bombardeamentos da aviação turca durante o fim de semana nos arredores da localidade de Zerkal. O exército, por seu turno, desmentiu ter atingido uma zona habitada.

Os media turcos assinalaram hoje vários novos ataques atribuídos ao PKK, incluindo de um hospital e de uma caravana militar no leste do país, que não teriam causado vítimas.

Confrontos entre a guerrilha e as forças da ordem terão igualmente ocorrido durante o fim de semana na província de Gumushane, perto do mar Negro, onde os rebeldes estão pouco presentes habitualmente.

As autoridades fecharam ainda hoje uma autoestrada no leste no país "para evitar ataques terroristas".

A rebelião do PKK em defesa dos direitos da minoria curda causou milhares de mortos desde o seu início há mais de 30 anos. A luta atual deixou de rastos um cessar-fogo acordado em 2013.

Lusa

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Rapper XXXTentacion morto em aparente tentativa de roubo

    Cultura

    O rapper norte-americano XXXTentacion, de 20 anos, morreu na noite de segunda-feira depois de ter sido baleado, na Florida, no sudeste dos Estados Unidos. Um dos suspeitos terá disparado e atingido o rapper e, de seguida, dois suspeitos fugiram numa viatura escura. A polícia está a considerar tentativa de roubo.