sicnot

Perfil

Mundo

Sete mortos em ataques de jacarés e hipopótamos este ano em aldeia angolana

Ataques de hipopótamos e de jacarés mataram sete pessoas entre janeiro e julho apenas numa pequena aldeia do município de Camacupa, na província angolana do Bié, de acordo com relatos transmitidos esta segunda-feira pela imprensa local.

Os hipopótamos provocam incidentes com a população e a destruição de campos agrícolas, arruinando o cultivo de subsistência. (Arquivo)

Os hipopótamos provocam incidentes com a população e a destruição de campos agrícolas, arruinando o cultivo de subsistência. (Arquivo)

© David W Cerny / Reuters

Segundo os populares, os ataques de jacarés acontecem junto à zona ribeirinha da comuna de Umpulo, nomeadamente quando vão a banhos ou tentam cruzar o curso de água local para a outra margem, afetando ainda camponeses e pescadores artesanais.

Além da ameaça dos jacarés, que atacam diretamente crianças e adultos, esta pequena comuna (localidade) da província do Bié, no centro de Angola, tem vindo a enfrentar as investidas de hipopótamos que provocam incidentes com a população e a destruição de campos agrícolas, arruinando o cultivo de subsistência.

As autoridades locais anunciaram a realização de campanhas de sensibilização para retirar estas populações das zonas mais perigosas de Camacupa, com vista a travar estes conflitos homem/animal.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18