sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia Internacional acusa forças armadas do Sudão de cometerem crimes de guerra

As forças armadas sudanesas cometeram crimes de guerra na região do Kordofan do Sul, nomeadamente bombardeando zonas e infraestruturas civis, indicou hoje a organização de defesa dos direitos humanos Amnistia Internacional (AI) num comunicado.

© Stringer . / Reuters

As forças governamentais enfrentam desde 2011 nas províncias do Kordofan do Sul e do Nilo Azul uma insurreição do ramo do Exército Popular de Libertação do Sudão no norte (SPLA-N).

"Há vários anos que uma 'chuva' de bombas e de granadas de morteiro lançadas pelas forças armadas sudanesas cai sobre a população civil, destruindo vidas e meios de subsistência e criando uma grave crise humanitária", declarou Michelle Kagari, diretora regional adjunta da AI.

A organização não-governamental sediada em Londres afirma que uma equipa de investigadores esteve em maio nas zonas ocupadas pelos rebeldes no Kordofan do Sul, onde encontrou provas da utilização de munições de fragmentação pelas forças governamentais que tiveram como alvo edifícios civis, nomeadamente escolas e instalações médicas.

A Amnistia Internacional dá conta da morte de 35 civis entre janeiro e abril em bombardeamentos aéreos e disparos de artilharia.

Os investigadores não se deslocaram às zonas sob controlo do governo. Cartum proíbe regularmente o acesso das organizações estrangeiras de defesa dos direitos humanos ao Kordofan do Sul e ao Nilo Azul, assim como ao Darfur, onde as autoridades enfrentam outra insurreição desde 2003.

"Ter como alvo zonas e infraestruturas civis que não representam objetivos militares legítimos, utilizando sem discriminação armas proibidas e outras armas, constitui um crime de guerra", sublinhou Kagari.

A agência France Presse referiu que as forças armadas não puderam ser contactadas para comentar as afirmações da AI.

O presidente sudanês, Omar al-Bashir, é objeto desde 2009 e 2010 de dois mandados de detenção do Tribunal Penal Internacional por crimes de guerra e contra a humanidade e genocídio no Darfur. Mais de 300.000 pessoas morreram neste conflito, de acordo com as Nações Unidas.

Lusa

  • "Tudo o que se está a passar no Sporting tem um único responsável: Bruno de Carvalho"
    7:08
  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.