sicnot

Perfil

Mundo

NATO reduz para metade policiamento aéreo nos Estados do Báltico

A NATO vai reduzir de 16 para oito o número de aviões envolvidos na vigilância do espaço aéreo dos países bálticos, reforçada após a intervenção da Rússia na Ucrânia, indicou um porta-voz militar da Aliança.

Andreea Alexandru

"A partir de 1 de setembro teremos oito aviões associados à missão de vigilância do céu", declarou à agência noticiosa AFP o porta-voz, Jay Janzen.

"Atualmente temos 16, mas [este número] está muito acima das nossas necessidades militares", acrescentou.

Em 2014 os aliados da NATO quadruplicaram de quatro para 16 os aviões envolvidos no patrulhamento do espaço aéreo da Estónia, Letónia e Lituânia, que não possuem estes recursos.

O ministro da Defesa lituano, Juozas Olekas, minimizou o impacto desta anunciada redução para a segurança regional.

"A decisão consiste em racionalizar os recursos", considerou.

Em junho, os Estados Unidos anunciaram o envio de armamento pesado, incluindo tanques, para os países bálticos, e ainda para a Polónia, Roménia e Bulgária.

A Rússia denunciou o reforço da NATO junto às suas fronteiras como uma provocação com sintomas de guerra fria, e reforçou o seu próprio arsenal militar face aos ocidentais.

As repúblicas bálticas, anexadas pela União Soviética de Estaline em 1940, tornaram-se independentes em 1991 e aderiram à NATO e à União Europeia em 2004.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.