sicnot

Perfil

Mundo

Julgamento de organizador de caçada do leão Cecil adiado para setembro

O julgamento do organizador do safari durante o qual foi abatido o leão zimbabueano Cecil foi adiado para setembro a pedido da defesa, indicou esta quarta-feira o juiz.

Theo Bronkhorst, caçador profissional zimbabueano, é reconvocado para 28 de setembro pelo tribunal de Hwange, perto da reserve onde decorreu a controversa caçada.

É acusado de ter organizado a perseguição ao leão Cecil, perto do parque nacional de Hwange, para o seu rico cliente norte-americano Walter Palmer, que abateu o felino a 1 de julho.

O caçador zimbabueano disse à agência France Presse no sábado que não pensava "ter feito qualquer coisa de ilegal" e que o seu cliente norte-americano, cuja extradição é pedido pelo Zimbabué, é "totalmente inocente".

"Vendi-lhe uma caçada que era legal", adiantou, assegurando que tudo estava em ordem, desde o pagamento de 55.000 dólares (50,6 mil euros) à autorização de caça.

Segundo a acusação, o proprietário do terreno no qual Cecil foi abatido não tinha quota para abater um leão. De acordo com informações não confirmadas, o animal, que tinha um dispositivo GPS porque era seguido no quadro de um estudo científico, foi atraído para fora da reserva.

Uma semana depois dos protestos provocados pela morte de Cecil, o Zimbabué declarou guerra aos caçadores ilegais, enquanto um segundo visitante norte-americano foi posto em causa na morte de um outro leão.

Foram anunciadas restrições à grande caça (de leões, elefantes e leopardos), que ficou proibida perto da reserva animal de Hwange, assim como com arco e flecha, o método usado no caso de Cecil.

A indústria da caça movimenta cerca de 40 milhões de dólares (36,8 milhões de euros) por ano no Zimbabué.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC