sicnot

Perfil

Mundo

Mortos civis no conflito afegão atingem valor mais elevado desde 2009

O número de vítimas civis resultante do conflito afegão atingiu um novo recorde durante a primeira metade de 2015, com 1.592 mortos e 3.329 feridos, anunciaram hoje as Nações Unidas (ONU).

APTN

No relatório semestral publicado hoje, a Missão das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) registou um decréscimo de 6% das mortes relativamente ao primeiro semestre de 2014, mas revela um aumento de 4% no número de pessoas feridas no combate contra os rebeldes, em ataques e assassínios.

No total, o número de vítimas do conflito aumentou 1% em relação ao ano passado, registando 4.921 pessoas mortas e feridas. Este número, atingido sete meses após o fim da missão da NATO no Afeganistão, é o mais elevado desde 2009, ano em que se iniciaram as estatísticas e o surto de violência no país.

De acordo com o relatório, os conflitos, em terra, entre os insurgentes e as forças de segurança afegãs são a principal causa de morte e de ferimentos, representando 70% do número total de mortos e feridos.

"As frias estatísticas sobre as mortes de civis não refletem o horror da violência no Afeganistão", afirmou o chefe da UNAMA.

Desde dezembro passado e do fim da missão de combate da NATO, o exército afegão e as forças policiais estão a enfrentar sozinhos os combatentes islâmicos, principalmente talibãs.

No Afeganistão encontram-se ainda cerca de 13 mil tropas estrangeiras, mas a sua missão limita-se à formação dos afegãos.

Lusa

  • Três irmãos resgatados dos escombros em Itália
    1:24
  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".

  • Governo quer entregar OE 2018 a 13 de outubro
    1:33
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.