sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela condena intromissão dos EUA nos assuntos eleitorais

A Venezuela condenou hoje as "declarações de ingerência" do porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, que instou as autoridades venezuelanas a reconsiderar "o veto" à participação nas legislativas de dezembro imposto a alguns candidatos da oposição.

"A Venezuela condena terminantemente as expressões ingerencistas do funcionário do Departamento de Estado dos EUA Mark Toner, que se imiscui em assuntos constitucionais internos [da Venezuela] relacionados com a eleição popular para cargos públicos na Venezuela", refere um comunicado do Ministério de Relações Exteriores.

O documento sublinha que "a Venezuela insiste que os atos dos poderes públicos venezuelanos se regem de maneira irrestrita e sem excepção alguma pela Constituição venezuelana e as suas leis".

"As delicadas funções públicas não podem responder ao mandado, directriz ou instruções estrangeiras, que violariam os princípios de soberania, integridade e autodeterminação dos Estados", precisa.

O Departamento de Estado dos EUA emitiu, na terça-feira, um comunicado no qual instava as autoridades venezuelanas a reconsiderar "o veto" à participação nas eleições legislativas de dezembro próximo imposto a alguns candidatos da oposição.

No documento, assinado pelo porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Mark Toner, sublinha-se que "a democracia deve ser inclusiva" e proporcionar uma "diversidade suficientemente ampla" para que os eleitores possam "expressar as suas preferências de maneira significativa".

"Os Estados Unidos veem com preocupação os relatórios de recentes decisões do Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela e da Controladoria-Geral da República, que impedem alguns membros da oposição de competir por um cargo público ou de o manter" no caso dos que estavam em funções, refere.

Segundo o documento "estas decisões têm claramente a intenção de complicar a capacidade da oposição de apresentar candidatos às eleições legislativas e de limitar a diversidade dos candidatos que possam ser apresentados perante o povo venezuelano".

"Instamos todas as autoridades venezuelanas relevantes a reconsiderarem o veto imposto aos candidatos e reiteramos o nosso apelo a uma observação eleitoral credível e oportuna", adianta a mesma nota.

"Incentivamos as instituições adequadas a assegurar que os venezuelanos podem exercer o direito de participar nas próximas eleições, como candidatos e como eleitores, segundo as tradições democráticas da Venezuela e a Carta Democrática Interamericana", afirmou Mark Toner.

Pelo menos cinco líderes da oposição estão "inabilitados" a exercer cargos públicos durante um ano, o que impede a sua inscrição como candidatos às eleições legislativas previstas para 06 de dezembro.

Entre eles contam-se a ex-deputada Maria Corina Machado, os jovens Raul Baduel e Alexander Tirado e os ex-autarcas Enzo Scarano e Daniel Ceballos.

Lusa

  • Pagaram 10 libras por diamante que vale milhares

    Mundo

    Há 30 anos um comprador adquiriu um anel de diamantes de 26.27 quilates por apenas 10 libras (cerda de 11 euros) numa feira em Isleworth, no oeste Londres. O proprietário passeou durante três décadas com uma peça que valia cerca de 350.000 libras (407.000€) e não sabia. Confessa que até a usava durante as tarefas domésticas.

    SIC

  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.

  • Caçador morre esmagado por elefante

    Mundo

    Um famoso caçador morreu na sexta-feira após ser esmagado por um elefante quando estava a caçar. A morte foi confirmada pelas autoridades do Zimbabué, que adiantaram ainda que o animal foi morto por um dos caçadores do grupo de Theunis Botha.