sicnot

Perfil

Mundo

Crise política na Guiné-Bissau pode levar a queda do Governo

Nas últimas semanas, a tensão política na Guiné-Bissau entre o Presidente e o primeiro-ministro tem aumentado. O chefe do Executivo, Domingos Simões Pereira, vai hoje dirigir uma mensagem ao país.

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau Domingos Simões Pereira, numa visita a Portugal em 2014.

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau Domingos Simões Pereira, numa visita a Portugal em 2014.

© Rafael Marchante / Reuters

Hoje, a partir das 09:00 (10:00 em Lisboa), o primeiro-ministro "irá ter vários encontros com líderes dos partidos políticos [com assento parlamentar] e comunidade internacional e no fim fará uma comunicação à Nação", refere o gabinete de Simões Pereira, em comunicado.

De acordo com fontes diplomáticas que vão participar nesses encontros, as reuniões devem decorrer durante toda a manhã.

Fontes diplomáticas e de diferentes autoridades do Estado disseram à Lusa que o Presidente da República está a manter encontros desde terça-feira sobre a possibilidade de demitir o Governo por dificuldades de relacionamento com o seu líder ainda por esclarecer.

A situação está a deixar incrédulos diversos representantes da comunidade internacional contactados pela Lusa em Bissau e que têm apoiado o executivo de Simões Pereira - anunciaram mil milhões de euros de intenções de apoio numa mesa redonda de doadores realizada em março, em Bruxelas.

Um desses representantes lamentou à Lusa a possibilidade de o país desperdiçar a estabilidade política atual por razões "aparentemente levianas" - ligadas à esfera do relacionamento pessoal.

Outro diplomata, Ovídio Pequeno, representante da União Africana em Bissau, disse à Lusa que a harmonização tem que ser feita através do diálogo.

"Ninguém vai exigir que as pessoas tenham que ser amigas. Mas quando estamos ao nível do aparelho de Estado, temos que nos cingir a esse trabalho", referiu.

Internamente, o Governo recebeu desde junho moções de confiança do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) e do Parlamento.

A Assembleia Nacional Popular (ANP), o Parlamento guineense, vai também promover durante a manhã um debate de urgência sobre a situação política no país.

O presidente da ANP, Cipriano Cassamá, disse na quarta-feira perante os deputados que "o Governo está em perigo", depois de ele próprio ter mantido uma reunião com o Presidente da República.

A assembleia aprovou por unanimidade a 25 de junho uma moção de confiança no Governo e Cassamá considerou na terça-feira ser "uma vergonha" a possibilidade de o Presidente demitir o primeiro-ministro.

Uma fonte da presidência guineense admitiu à Lusa a possibilidade de o chefe de Estado ouvir hoje os partidos com representação na Assembleia.

Antes de tomada de qualquer decisão de fundo, o Presidente, à luz da Constituição do país, é obrigado a auscultar as forças vivas, nomeadamente todos os partidos legalmente constituídos, bem como o Conselho de Estado.

O chefe de Estado foi ao Parlamento no início de julho para dirigir um discurso à nação em que desmentiu rumores sobre a possibilidade de demitir o Governo, prometendo apoiá-lo e defender a estabilidade no país - mas ao mesmo tempo deixando no ar a ideia de que prefere ver feita uma remodelação governamental.

Apesar de Domingos Simões Pereira ter declarado abertura ao diálogo e disponibilidade para mudar o elenco governativo, ainda não houve entendimento entre ambos.

Com Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59