sicnot

Perfil

Mundo

Violino Stradivarius roubado há 35 anos devolvido

Um violino Stradivarius, desaparecido há 35 anos, foi encontrado e entregue pela ex-mulher do suspeito de o ter roubado ao violinista polaco Roman Totenberg.

O violino, que agora vale milhões, vai ser entregue às filhas de Roman Totenberg, depois de estas concordarem em tribunal devolver à seguradora os 250 mil euros pagos ao pai aquando do roubo.

O violino, que agora vale milhões, vai ser entregue às filhas de Roman Totenberg, depois de estas concordarem em tribunal devolver à seguradora os 250 mil euros pagos ao pai aquando do roubo.

FBI NEW YORK / HANDOUT

O roubo aconteceu em 1980, na cidade de Cambridge, estado norte-americano de Massachusetts.

O instrumento foi descoberto entre os pertences de Phillip Johnson, depois daquele que chegou a ser suspeito do roubo ter morrido. A ex-mulher de Johnson decobriu o violino e verificou que tinha sido construído no século XVIII, mais concretamente 1734, pelo construtor de violinos italiano Antonio Giacomo Stradivari.

O violino, que agora vale milhões, vai ser entregue às filhas de Roman Totenberg, depois de estas concordarem em tribunal devolver à seguradora os 250 mil euros pagos ao pai aquando do roubo.

Com a resolução deste mistério, resta apenas um único Stradivarius desaparecido no mundo: o Davidoff-Morini Strad, levado da casa da violinista austríaca Erica Morini, em 1995.

  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite