sicnot

Perfil

Mundo

Detido condutor que atropelou mortalmente 27 peregrinos em procissão no México

As autoridades mexicanas anunciaram ter detido o condutor do camião que atropelou mortalmente 27 pessoas durante uma procissão religiosa no estado de Zacatecas, no norte do país, na semana passada.

© Tomas Bravo / Reuters

"O condutor foi detido" na localidade de Concepcion de Oro, no limite de Zacatecas e do estado vizinho de Coahuila, no norte do México, indicaram as autoridades em comunicado, informando que o detido foi entregue às autoridades judiciais.

Segundo testemunhas, o condutor do camião conseguiu saltar do veículo pesado antes do derradeiro impacto e estava desaparecido desde o dia do acidente.

Várias centenas de peregrinos caminhavam na estrada principal da pequena cidade de Mazapil em direção a uma igreja do século XVIII, em 29 de julho, quando o camião, carregado de toneladas de areia e sem travões, embateu contra a multidão.

O camião atravessou a via, colidiu com outros veículos e chocou contra a fachada de um edifício antes de capotar.

Catorze pessoas morreram no local do acidente, enquanto as restantes 13 vieram a sucumbir aos ferimentos no hospital.

O sinistro causou uma centena de feridos, dos quais 28 continuam hospitalizados.

A procissão teve lugar no primeiro dia de uma semana de celebrações religiosas, em que participaram mais de mil pessoas oriundas de localidades rurais vizinhas.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.