sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos quatro mortos em Taiwan devido à passagem do tufão Soudelor

Pelo menos quatro pessoas morreram, outras 27 ficaram feridas e uma dada como desaparecida em Taiwan devido à passagem do tufão Soudelor, que causou graves danos materiais e que este sábado pode alcançar a costa da China.

Os fortes ventos e intensas chuvas provocaram a queda de inúmeras árvores e semáforos e derrubaram postos de eletricidade, deixando pelo menos 700 mil casas de energia elétrica.

Os fortes ventos e intensas chuvas provocaram a queda de inúmeras árvores e semáforos e derrubaram postos de eletricidade, deixando pelo menos 700 mil casas de energia elétrica.

© China Stringer Network / Reuters

Os fortes ventos e intensas chuvas provocaram a queda de inúmeras árvores e semáforos e derrubaram postos de eletricidade, deixando pelo menos 700 mil casas de energia elétrica.

O tufão, que alcançou esta madrugada a ilha, tocando terra na cidade de Hsiulin pelas 04:40 (21:40 de sexta-feira em Lisboa), transporta ventos que chegaram a atingir 250 quilómetros por hora.

Milhares de pessoas foram retiradas, estando atualmente 1300 em 43 abrigos temporários espalhados pela ilha.

Todas as escolas estavam encerradas hoje devido à passagem do tufão pelo centro de Taiwan.

Os meteorologistas preveem que o tufão perca força durante o fim de semana e se converta em tempestade tropical, apesar de a ilha se manter em alerta.

O Soudelor avança em direção a oeste e calcula-se que atinja a costa da China ainda hoje, pelo que nas zonas mais próximas de Taiwan -- como as províncias de Fujian e Zhejiang -- foi declarado alerta laranja, o segundo mais elevado de uma escala de quatro.

Só em Fujian foram retiradas mais de 158 mil pessoas de zonas consideradas como sendo de risco.

Foi também ordenado o regresso aos portos dos barcos pesqueiros e suspenso o funcionamento de algumas ligações ferroviárias.

Lusa

  • Dirigentes do GD Ribeirão acusados de auxílio à emigração ilegal
    1:34

    Desporto

    Oito dirigentes do Grupo Desportivo de Ribeirão, um clube de Vila Nova de Famalicão que fechou as portas em 2015, foram acusados pelo Ministério Público.Em causa, estão suspeitas de auxílio à emigração ilegal ou falsificação de documentos, relacionadas com transferências de jogadores estrangeiros em situação ilegal.

  • O primeiro eclipse solar do ano
    0:57
  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16