sicnot

Perfil

Mundo

Terminou tomada de reféns estrangeiros no Mali, pelo menos 12 mortos

As forças especiais puseram este sábado fim à tomada de reféns estrangeiros lançada na sexta-feira por presumíveis 'jihadistas' num hotel de Sevaré, no centro do Mali, e anunciaram que pelo menos 12 pessoas foram mortas, duas delas estrangeiros.

(Arquivo)

(Arquivo)

Baba Ahmed / AP

"Há ao todo 12 mortos", disse fonte militar maliana às agências internacionais no final da operação no Hotel Byblos, em Sevaré, arredores de Mopti.

Segundo a fonte, os mortos são "cinco terroristas", cinco soldados e "dois brancos", cujas identidades e nacionalidades estavam ainda a ser confirmadas.

Depois de cercar completamente o local, as forças especiais conseguiram cerca das 05:00 (06:00 em Lisboa) libertar quatro reféns estrangeiros, um russo e três sul-africanos.

Estes quatro reféns juntaram-se a um ucraniano que na sexta-feira à tarde conseguiu fugir do hotel, habitualmente utilizado por parte dos elementos da missão da ONU para a estabilização do Mali.

Segundo as fontes militares, pelo menos 12 pessoas morreram entre as 07:00 de sexta-feira, quando começou o assalto, e o final da operação.

Fonte do governo maliano informou na sexta-feira em comunicado que sete pessoas ligadas ao assalto foram detidas.

Nenhum grupo reivindicou o ataque até ao momento, mas as autoridades suspeitam do envolvimento de seguidores de amadou Kouffa, um 'jihadista' local próximo da Al-Qaida no Magrebe Islâmico (AQMI).

O último atentado contra estrangeiros no Mali ocorreu em março, num restaurante da capital, Bamako, e fez cinco mortos, dois deles europeus.

Lusa

  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC