sicnot

Perfil

Mundo

Manifestações em Nova Iorque um ano após a morte de Michael Brown

Várias manifestações assinalaram este domingo, em Nova Iorque, um ano da morte do jovem afro-americano Michael Brown, alvejado por um agente policial em 2014 em Ferguson.

"Fim ao terror racista" e "Polícias assassinos na prisão" foram algumas das frases escritas em cartazes exibidos nas manifestações.

"Fim ao terror racista" e "Polícias assassinos na prisão" foram algumas das frases escritas em cartazes exibidos nas manifestações.

© Rick Wilking / Reuters

"Fim ao terror racista" e "Polícias assassinos na prisão" foram algumas das frases escritas em cartazes exibidos hoje nas manifestações.

Há um ano, a morte de Michael Brown nos arredores da cidade de Ferguson, no estado de Missouri, centro-oeste dos Estados Unidos, desencadeou uma onda de protestos por causa da violência policial contra afro-americanos e fez reviver o debate sobre as questões raciais na sociedade norte-americana.

Em março deste ano, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos revelou que não iria processar o polícia que matou o adolescente negro, justificando que o agente em causa, Darren Wilson, não agiu com intenção criminosa.

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05