sicnot

Perfil

Mundo

Noventa detidos em Havana com máscaras da cara de Obama

Cerca de 90 cubanos foram detidos este domingo em Havana quando se manifestavam contra a reabertura da embaixada dos Estados Unidos em Cuba, usando máscaras com a cara do presidente norte-americano Barack Obama.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Erik de Castro / Reuters

De acordo com a agência France Presse, as pessoas foram detidas depois de terem participado numa marcha do grupo Damas de Branco, um movimento de oposição ao regime de Cuba que pede a libertação de presos políticos.

"Ele [Barack Obama] é responsável pelo que se passa, o governo cubano encorajou-se com as negociações com Washington", afirmou o analista político Ángel Moya, pouco antes de ser detido.

Ainda assim, Ángel Moya espera que o presidente dos Estados Unidos "imponha condições ao governo de Cuba para que parem as violações de direitos humanos".

As detenções acontecem dias antes da reabertura, marcada para sexta-feira da embaixada dos Estados Unidos em Havana, num sinal histórico de reaproximação diplomática entre os dois países.

Na reabertura da embaixada em Havana estará presente o secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

Lusa

  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Costa confiante no crescimento da economia e das exportações
    1:09

    Economia

    O primeiro-ministro manifestou confiança no crescimento da economia e das exportações. À margem da cerimónia dos 25 anos da Auto Europa em Portugal, António Costa deu vários exemplos de investimento estrangeiro, feito nas últimas semanas no país, e disse que os dados económicos recentes são positivos.

  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47
  • Turista italiano assassinado em favela do Rio de Janeiro
    1:01

    Mundo

    Um turista italiano de 52 anos foi assassinado numa favela do Rio de Janeiro, no Brasil, enquanto viajava com um amigo. Após várias horas com o gangue autor do crime, o amigo que se encontrava com a vítima acabou por ser libertado.