sicnot

Perfil

Mundo

Calor faz 21 mortos no Egito

Vinte e uma pessoas morreram e outras 66 foram hospitalizadas devido a exaustão pelo calor em resultado das elevadas temperaturas e humidade que têm sido registadas no Egito, anunciou o ministério da Saúde daquele país.

© Reuters Photographer / Reuter

As vítimas, que faleceram todas no domingo, sucumbiram às altas temperaturas, que chegaram a atingir 47 graus Celsius, e se tornaram ainda menos suportáveis devido aos elevados níveis de humidade.

Quinze pessoas morreram no Cairo, quatro na província de Qalibyia, na região do Delta do Nilo e outras duas na província de Qena, no Alto Egito, acrescentou o ministério num comunicado.

As vítimas, entre as quais sete mulheres, tinham todas mais de 60 anos.

Outras 66 pessoas deram entrada no hospital com sintomas de exaustão pelo calor que origina um estado de desidratação devido à perda excessiva de líquidos através do suor, encontrando-se ainda 37 em estado de observação.

"Houve uma subida grande das temperaturas comparativamente aos anos anteriores. Mas o maior problema é a humidade, que afeta ainda mais as pessoas", adiantou o porta-voz do ministério Hossam Abdel Ghaffar.

Embora as temperaturas de verão superiores a 30 graus não sejam incomuns no Egito, é raro que os níveis de humidade de mantenham elevados quando o tempo está excessivamente quente.

Lusa

  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Jornalista bielorrusso come jornal após perder aposta

    Desporto

    Vyacheslav Fedorenko, editor de desporto de um importante jornal da Bielorrúsia, apostou que o Dinamo Minsk não chegaria aos play-offs da Kontinental Hockey League (KHL), uma liga internacional dominada por equipas russas. Perdeu e acabou a comer as próprias palavras, impressas em papel.