sicnot

Perfil

Mundo

Defensor sírio dos direitos humanos Mazen Darwish foi libertado

O célebre defensor dos direitos humanos sírio e crítico do regime de Bashar al-Assad, Mazen Darwish, foi libertado hoje após uma detenção de mais de três anos denunciada como arbitrária.

O jornalista e diretor do Centro Sírio para os Media e a Liberdade, Mazen Darwish, "foi posto em liberdade e o tribunal pronunciará o veredicto a 31 de agosto", disse à agência France Presse a sua mulher, Yara Bader.

Onze meses depois do início do conflito na Síria, que começou com protestos pacíficos violentamente reprimidos que evoluíram para uma guerra civil, Mazen Darwish foi detido com dois dos seus colegas, Hani Zaitani e Hussein Ghreir, a 16 de fevereiro de 2012 em Damas, acusados de "apologia do terrorismo".

Darwish, de 41 anos, foi galardoado com os prémios Roland Berger pela dignidade humana em 2011, dos Repórteres Sem Fronteiras (RSF) em 2013 e Mundial da Liberdade de Imprensa 2015 da UNESCO.

"Estamos aliviados por Mazen Darwish ter recuperado a sua liberdade. (...) Esperamos agora que a justiça reconheça a sua inocência", disse o secretário-geral da organização RSF, Christophe Deloire, num comunicado.

A Amnistia Internacional também se congratulou com a libertação do ativista que, considerou, "já devia ter acontecido há muito tempo".

Mais de 200.000 pessoas estão detidas nas prisões e centros de detenção do regime sírio, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos. Mais de 13.000 detidos foram mortos sob tortura desde o início do conflito em março de 2011.

Lusa

  • Tribunal de Contas apresentou reservas em relação ao SIRESP em 2006

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O Tribunal de Contas avisou em 2006 que o Estado poderia sair prejudicado nos moldes em que o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) estava a ser desenhado. De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, terão sido a ausência de um concurso público, a falta de tempo para a apresentação de propostas e mexidas no caderno de encargos a motivar as reservas do tribunal.

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Chef russo aconselha bife tártaro aos jogadores portugueses
    1:29
  • Bispo do Mali terá contas na Suíça com 12 M€
    1:49

    Mundo

    Há uma polémica a envolver um novo cardeal da Igreja católica. Um bispo do Mali, escolhido pelo Papa para o colégio cardinalício, está a ser relacionado com contas na Suíça onde estarão depositados milhões de euros. A cerimónia que o fará cardeal está marcada para hoje.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.