sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 1.550 imigrantes socorridos hoje no Mediterrâneo

Mais de 1.550 imigrantes a bordo de sete embarcações foram hoje recolhidos ao largo da Líbia, anunciou a guarda-costeira italiana, que coordena as operações de vigilância na zona.

Enquanto diversas centenas de imigrantes resgatados nos dias anteriores foram desembarcados no sul de Itália, o navio "Phoenix", fretado pela ONG Médicos Sem Fronteiras e a organização maltesa Moas, prestaram auxílio a duas barcaças com 230 pessoas a bordo.

O navio humanitário recuperou de seguida 125 outras pessoas socorridas a bordo de uma terceira embarcação pelo navio irlandês "Niamh".

O navio "Fenice" da marinha italiana socorreu outros 77 migrantes a bordo de uma quarta embarcação, e o "Fiorillo" da guarda-costeira deu abrigo a 345 que se encontravam num outro barco à deriva.

O último balanço do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) divulgado na semana passada refere que 240 mil migrantes chegaram à Europa, depois de atravessarem o Mediterrâneo, desde o início do ano -- 98.000 na Itália e 124.000 na Grécia -- e mais de 2.100 morreram durante a tentativa de travessia.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.