sicnot

Perfil

Mundo

Polícia sueca deteve duas pessoas após ataque em loja do IKEA

A polícia sueca deteve hoje dois suspeitos, um deles com ferimento graves, depois de um ataque numa loja do IKEA no centro da Suécia, que provocou a morte a duas pessoas.

© Scanpix Sweden / Reuters

Horas depois do ataque, a polícia de Vasteras, local onde foi cometido o duplo assassínio, ainda eram desconhecidas as motivações do ataque.

"Dois homens foram detidos por suspeita de assassínio. Um deles nasceu em 1992 e foi preso no local e o outro, que ficou ferido, nasceu em 1979", disse o chefe da polícia de Vasteras, Per Agren, acrescentando que o suspeito ferido foi levado para o hospital.

Segundo a polícia, as autoridades receberam a chamada de alerta do IKEA cerca das 13:00 (12:00 em Lisboa).

"No local foram encontrados um homem e uma mulher esfaqueados, que acabaram por morrer em consequência dos ferimentos, e uma outra pessoa que ficou gravemente ferida", referiu a polícia.

A polícia continua no local e terá já encontrado as armas do crime, mas não especificou quais.

Um vídeo feito usando um telemóvel, que está a ser transmitido pela imprensa sueca, mostra a polícia a deter um homem numa paragem de autocarros.

Segundo o diretor da loja, Mattias Johansson, o duplo homicídio ocorreu na zona dos acessórios de cozinha e a polícia suspeita que as vítimas foram escolhidas ao acaso.

A porta-voz do IKEA, Martina Smedberg, disse que o grupo, especialmente aquela loja, não recebeu qualquer ameaça.

A loja foi evacuada e cercada pela polícia e vai permanecer encerrada até nova ordem, acrescentou.

A presença da polícia junto de outras lojas, na mesma zona, foi reforçada.

Vasteras é uma cidade industrial, a 100 quilómetros de Estocolmo, com cerca de 110 mil habitantes e a quinta maior da Suécia.

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • CDS avança com moção de censura ao Governo

    País

    A líder do CDS anunciou hoje que o partido vai apresentar uma moção de censura ao Governo, na sequência dos incêndios que fizeram 37 mortos desde domingo, quatro meses depois da tragédia de Pedrógão Grande.

    Em atualização

  • O mapa das vítimas dos incêndios
    1:19

    País

    Aumentou para 37 o número de mortes na sequência dos fogos que assolaram a zona Centro do país desde o fim de semana. Feridos são pelo menos 71. Atualizamos aqui o mapa, segundo o último balanço da Proteção Civil.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • Há uma semana que as florestas ardem na Califórnia
    1:34