sicnot

Perfil

Mundo

Confrontos entre polícia turca e manifestantes curdos após funeral de responsável do PKK

A polícia turca e militantes curdos envolveram-se hoje em confrontos após o funeral de um responsável do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), morto na véspera em combates com o exército, referiu a imprensa.

© Osman Orsal / Reuters

O rebelde curdo, Baris Tekce, que se juntou à rebelião em 2010 e era conhecido sob o nome de guerra 'Andok', foi morto na terça-feira durante confrontos com militares na região de Hakkari (sudeste da Turquia), segundo um comunicado do PKK divulgado hoje, e que confirmou as informações da imprensa.

Considerado uma figura importante do PKK, foi atingido por disparos provenientes de um helicóptero durante uma operação nesta região fronteiriça com o Irão e o Iraque, precisou o comunicado do grupo rebelde.

Os confrontos, que prosseguiam no final da tarde, eclodiram na povoação de Hakkari após o enterro, acompanhado por centenas de pessoas, muitas agitando a bandeira curda, com as cores vermelha, amarela e verde.

A polícia disparou para o ar e utilizou canhões de água para responder ao arremesso de pedras por parte da população curda, referiu a agência noticiosa Dogan.

A Turquia, que em 24 de julho desencadeou a operação "guerra contra o terrorismo", conduz operações militares contra os rebeldes curdos e os combatentes do grupo Estado Islâmico (EI).

No entanto, os ataques aéreos têm sobretudo atingido as bases recuadas do PKK no Iraque, implicando o fim do cessar-fogo em vigor desde 2012. No terreno, decorrem confrontos ininterruptos desde há três semanas entre as forças de Ancara e os rebeldes curdos.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.