sicnot

Perfil

Mundo

Explosão em armazém de explosivos na China faz, pelo menos, 300 feridos

Uma série de mega explosões foi esta quarta-feira registada na cidade chinesa de Tianjin, no nordeste do país. A explosão terá tido origem num armazém de explosivos, no porto da cidade, foi sentida a vários quilómetros e terá feito, pelo menos, 300 feridos.

A explosão terá tido origem num armazém de explosivos, no porto da cidade, foi sentida a vários quilómetros e terá feito, pelo menos, 300 feridos.

A explosão terá tido origem num armazém de explosivos, no porto da cidade, foi sentida a vários quilómetros e terá feito, pelo menos, 300 feridos.

Yue Yuewei / AP

De acordo com a agência de notícias pública da China, entre 300 a 400 pessoas já foram transportadas para hospitais da região, mas há relatos nas redes sociais de centenas de feridos.

A mesma fonte revela que as explosões quebraram janelas e derrubaram portas de edifícios na área.

  • Explosão num mercado do noroeste da China causou 31 mortos

    Mundo

    Pelo menos 31 pessoas morreram e mais de 90 ficaram feridas numa explosão, num mercado da província chinesa de Xinjiang. Ao início da manhã (1:00 em Lisboa) foram lançados explosivos de dois veículos que avançavam por entre a população, num mercado ao ar livre. O ataque ainda não foi reinvindicado, mas o grupo étnico de Uguir, conhecido como os separatistas de Xinjiang, é apontado como responsável.

  • Obama acredita que Guterres será um bom líder da ONU
    0:53

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar de perto com os Estados Unidos na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido esta sexta-feira por Barack Obama, na Casa Branca, onde foi elogiado pelo ainda Presidente.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.