sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 300 feridos em série de mega explosões na China

Uma série de mega explosões foi esta quarta-feira registada na cidade chinesa de Tianjin, no nordeste do país. A explosão terá tido origem num armazém de explosivos, no porto da cidade, foi sentida a vários quilómetros e terá feito, pelo menos, 300 feridos.

A explosão terá tido origem num armazém de explosivos, no porto da cidade, foi sentida a vários quilómetros e terá feito, pelo menos, 300 feridos.

A explosão terá tido origem num armazém de explosivos, no porto da cidade, foi sentida a vários quilómetros e terá feito, pelo menos, 300 feridos.

Yue Yuewei / AP

O jornal Notícias de Pequim indicou que 300 a 400 pessoas feridas deram entrada num hospital, citando igualmente um funcionário de um outro hospital que diz que é impossível contar os doentes que chegaram depois da explosão.

Segundo o 'site' da BBC, a explosão terá ocorrido numa "estação de armazenamento de gasolina", na zona de Binhai, referindo a agência oficial chinesa Xinhua que se tratava de "um armazém com 'mercadorias perigosas'".

Ocorrida cerca das 23:30 locais (17:30 em Lisboa), a explosão causou um estrondo ensurdecedor e um incêndio, provocando nuvens de poeira, adiantou a Xinhua.

A BBC refere ainda que, segundo a emissora estatal chinesa CCTV, vários blocos de apartamentos próximos do local da explosão estão sem energia elétrica.

Com Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48