sicnot

Perfil

Mundo

Secretário-geral da ONU demite chefe de missão na República Centro-Africana

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou hoje a demissão do chefe da missão da ONU na República Centro-Africana após uma série de alegações de abuso sexual por parte de 'capacetes azuis'.

© Khaled Al Hariri / Reuters

O diplomata senegalês Babacar Gaye "pediu a sua demissão a meu pedido", anunciou Ban Ki-moon em conferência de imprensa citada pela agência France Presse (AFP) na sede da ONU, em Nova Iorque.

A decisão surge um dia após a abertura de uma investigação sobre a violação de uma menina de 12 anos e o homicídio a tiro de um rapaz de 16 anos e do seu pai, alegadamente perpetrados por soldados da MINUSCA.

"Não posso pôr em palavras o quão angustiado, enraivecido e envergonhado estou devido às denúncias recorrentes, ao longo dos anos, de exploração e abuso sexual por parte das forças da ONU", afirmou Ban Ki-moon, acrescentando que "já chega".

"Quando as Nações Unidas mobilizam forças de manutenção de paz, fazemo-lo para proteger as pessoas mais vulneráveis do mundo, nos lugares mais desesperados do mundo", defendeu.

O secretário-geral acrescentou que não tolerará "nenhuma ação daqueles que substituem a confiança pelo medo".

Babacar Gaye, de 64 anos, era o chefe da MINUSCA e o enviado especial da ONU na República Centro-Africana desde julho de 2014, quando a missão foi mobilizada.

Os alegados crimes tiveram lugar entre 02 e 03 de agosto, durante uma operação para deter um antigo líder rebelde na capital do país, Bangui, numa zona controlada por milícias muçulmanas.

A operação deixou cinco mortos no total, incluindo um 'capacete azul' dos Camarões.

A França lidera uma investigação separada sobre alegações de que mais de uma dúzia dos seus soldados, mobilizados no âmbito da operação francesa Sangaris, que precedeu a MINUSCA, abusou sexualmente de crianças em troca de comida.

A República Centro-Africana luta para recuperar da violência sectária que alastrou pelo país após um golpe de estado em 2013.

O governo apoiado internacionalmente é ameaçado pelo conflito entre uma coligação rebelde muçulmana ('Seleka') e milícias cristãs e animistas (os 'Anti-Balaka').

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.