sicnot

Perfil

Mundo

Secretário-geral da ONU demite chefe de missão na República Centro-Africana

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou hoje a demissão do chefe da missão da ONU na República Centro-Africana após uma série de alegações de abuso sexual por parte de 'capacetes azuis'.

© Khaled Al Hariri / Reuters

O diplomata senegalês Babacar Gaye "pediu a sua demissão a meu pedido", anunciou Ban Ki-moon em conferência de imprensa citada pela agência France Presse (AFP) na sede da ONU, em Nova Iorque.

A decisão surge um dia após a abertura de uma investigação sobre a violação de uma menina de 12 anos e o homicídio a tiro de um rapaz de 16 anos e do seu pai, alegadamente perpetrados por soldados da MINUSCA.

"Não posso pôr em palavras o quão angustiado, enraivecido e envergonhado estou devido às denúncias recorrentes, ao longo dos anos, de exploração e abuso sexual por parte das forças da ONU", afirmou Ban Ki-moon, acrescentando que "já chega".

"Quando as Nações Unidas mobilizam forças de manutenção de paz, fazemo-lo para proteger as pessoas mais vulneráveis do mundo, nos lugares mais desesperados do mundo", defendeu.

O secretário-geral acrescentou que não tolerará "nenhuma ação daqueles que substituem a confiança pelo medo".

Babacar Gaye, de 64 anos, era o chefe da MINUSCA e o enviado especial da ONU na República Centro-Africana desde julho de 2014, quando a missão foi mobilizada.

Os alegados crimes tiveram lugar entre 02 e 03 de agosto, durante uma operação para deter um antigo líder rebelde na capital do país, Bangui, numa zona controlada por milícias muçulmanas.

A operação deixou cinco mortos no total, incluindo um 'capacete azul' dos Camarões.

A França lidera uma investigação separada sobre alegações de que mais de uma dúzia dos seus soldados, mobilizados no âmbito da operação francesa Sangaris, que precedeu a MINUSCA, abusou sexualmente de crianças em troca de comida.

A República Centro-Africana luta para recuperar da violência sectária que alastrou pelo país após um golpe de estado em 2013.

O governo apoiado internacionalmente é ameaçado pelo conflito entre uma coligação rebelde muçulmana ('Seleka') e milícias cristãs e animistas (os 'Anti-Balaka').

Lusa

  • Nomeados para os Óscares são anunciados hoje

    Óscares 2017

    As nomeações para a 89ª. edição dos Óscares, os prémios da Academia norte-americana de cinema, são conhecidos esta terça-feira e pela primeira vez o anúncio será feito apenas via Internet. Para ver também aqui em direto, na SIC Notícias, a partir das 13:00.

    Aqui às 13:00

  • "O Sporting é o um barco à deriva"
    2:26
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    A crise do Sporting foi o principal tema em O Dia Seguinte, esta segunda-feira. José Guilherme Aguiar censura Bruno de Carvalho por ter convidado Jorge Jesus para a comissão de honra da recandidatura. Já Rogério Alves não tem dúvidas que a contestação tem aumentado de tom devido à proximidade das eleições do Sporting. Rui Gomes da Silva pensa que toda a direção leonina é responsável pelo mau momento atual do clube.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • "Todo o mundo no voo estava a orar em voz alta"
    4:00
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.