sicnot

Perfil

Mundo

Humanidade consumiu em quase oito meses o que a Terra produz num ano

O dia de hoje marca a data em que a humanidade consumiu todos os recursos naturais que o planeta é capaz de renovar num ano, segundo a organização não-governamental Global Footprint Network.

© NASA NASA / Reuters

O "dia da sobrecarga da Terra" é assinalado este ano a 13 de agosto, quatro dias antes do que no ano passado, segundo os cálculos da organização ambientalista que alerta, citada pela agência France Presse (AFP), para o aumento constante e "insustentável" do ritmo do consumo de recursos naturais pela humanidade.

Em 1970, o "dia da sobrecarga" foi marcado a 23 de dezembro, e desde então a data não parou de ser assinalada mais cedo: 03 de novembro em 1980, 13 de outubro em 1990, 04 de outubro em 2000, 03 de setembro em 2005 e 28 de agosto em 2010.

Este ano, "foram precisos menos de oito meses para a humanidade consumir todos os recursos naturais renováveis que a Terra pode produzir num ano", uma clara indicação de que "o processo de esgotamento dos recursos naturais está a acelerar", segundo a GFN.

A data representa, para Pierre Cannet, responsável da energia e do clima do Fundo Mundial para a Natureza (WWF) de França, "o ritmo incrível e insustentável do desenvolvimento mundial".

"Estamos à beira de um precipício", declarou à AFP, calculando que até 2030 a humanidade arrisque "chegar ao sobre consumo em junho".

Segundo a Global Footprint Network, precisaríamos de 1,6 planetas para saciar o consumo de recursos atual.

A organização ambientalista calcula que, se as emissões globais de CO2 não diminuírem, em 2030 a data será 28 de junho.

Pelo contrário, "se reduzirmos as emissões de CO2 em 30%" do seu nível atual, o "dia da sobrecarga da Terra" deverá recuar até 16 de setembro.

"Reduzir as emissões de carbono contribuirá não só para abrandar o aquecimento global", mas também de "reduzir a pegada ecológica a uma escala global", sublinha a organização.

Lusa

  • Papa diz que bombas atómicas são alerta permanente para a Humanidade
    0:36

    Mundo

    O Papa Francisco disse este domingo que as bombas atómicas de Hiroshima e Nagasaki são um alerta permanente para a humanidade rejeitar de vez a guerra. O Sumo Pontífice assinalou os 70 anos do trágico bombardeamento no Japão e, perante milhares de pessoas na praça de São Pedro, no Vaticano, defendeu que a única forma de vencer uma guerra é recusar fazê-la. O Papa referiu-se a Hiroshima e Nagasaki como exemplos de um uso errado da ciência e da tecnologia pelo Homem.

  • Grande Reportagem: Laboratório Antártida
    2:35

    Grande Reportagem SIC

    Investigadores de todo o mundo veem na Antártida um excecional laboratório natural para obterem respostas sobre o passado, o presente e o futuro da humanidade. A Grande Reportagem viajou até à ilha do Rei Jorge e mostra-lhe hoje o que leva cientistas de vários países, incluindo portugueses, a uma das regiões mais inóspitas mas também mais fascinantes do planeta.

  • Nove dos 50 feridos que continuam hospitalizados estão em estado crítico
    3:46

    Ataque em Barcelona

    Os quatro indivíduos implicados nos atentados de Barcelona e Cambrils prestam hoje declarações ao juiz Fernando Andreu, na Audiência Nacional, em Madrid. O enviado especial da SIC, Emanuel Nunes, dá conta do ambiente que se vive em Barcelona esta manhã e faz uma atualização em relação aos feridos no atentado na capital catalã. Cinquenta pessoas continuam hospitalizadas, 9 em estado considerado crítico e 13 em estado grave.

  • Ilibados trabalhadores castigados por consulta de dados fiscais

    País

    Os funcionários da Autoridade Tributária, que tinham sido castigados por terem consultado dados fiscais, foram absolvidos. O jornal Público avançou hoje que as orientações contra as sanções a aplicar aos funcionários partiram do ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade.

  • Novas regras para os pagamentos em dinheiro vivo

    Economia

    Os pagamentos em dinheiro acima de 3.000 euros são proibidos a partir de quarta-feira, mas aos não residentes são permitidos pagamentos até 10 mil euros, ou o equivalente em moeda estrangeira, segundo um diploma hoje publicado.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Repórteres fazem relato impressionante dos acontecimentos em Charlottesville
    3:40