sicnot

Perfil

Mundo

China quer "desculpas sinceras" do Japão pela Segunda Guerra Mundial

A China declarou hoje que pretender "desculpas sinceras" por parte da Japão pelas agressões cometidas durante a Segunda Guerra Mundial, algumas horas após um discurso do primeiro-ministro nipónico em que este reiterou os "sentimentos de remorsos profundos".

© Aly Song / Reuters

Numa referência aos atos cometidos pelo império japonês no decurso do conflito mundial, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, apelou durante um discurso comemorativo do 70.º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial a que as gerações futuras sejam isentadas deste exercício de condolências e de desculpas oficiais.

Numa nota publicada na sua página da Internet, o Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês exigiu "desculpas sinceras" ao responsável nipónico, na primeira reação oficial de Pequim às declarações de Shinzo Abe.

Sem citar o chefe do Governo nipónico, o Ministério dos Negócios Estrangeiros refere ter tido conhecimento "da declaração do dirigente do Japão" e acrescenta que o vice-ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Zhang Yesui, exprimiu a "posição firme" de Pequim sobre este assunto ao embaixador do Japão na China, Masato Kitera.

O discurso de Abe foi analisado cuidadosamente, pelo facto de as recordações da invasão japonesa que começou da década de 1930, com situações particularmente sangrentas, e até à capitulação nipónica em 1945, constituem ainda um tema muito sensível para o povo chinês.

Lusa

  • PS acusa PSD e CDS de falta de agenda política
    1:01

    Caso CGD

    O PS considera o anúncio desta nova comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos um ataque doentio de PSD e CDS ao ministro das Finanças, que visa apenas desviar as atenções dos bons resultados da economia portuguesa. O deputado socialista João Paulo Correia diz que falta agenda política aos partidos de direita.

  • "Fiz coisas de que me envergonho"
    2:31
  • Mulheres heterossexuais têm menos orgasmos que as lésbicas

    Mundo

    As mulheres heterossexuais têm menos orgasmos que as lésbicas ou bissexuais, ou mesmo que todos os homens hetero, homo ou bissexuais. O estudo que dá conta desta realidade revela também o que fazer para aumentar as hipóteses de uma mulher alcançar um orgasmo.