sicnot

Perfil

Mundo

China quer "desculpas sinceras" do Japão pela Segunda Guerra Mundial

A China declarou hoje que pretender "desculpas sinceras" por parte da Japão pelas agressões cometidas durante a Segunda Guerra Mundial, algumas horas após um discurso do primeiro-ministro nipónico em que este reiterou os "sentimentos de remorsos profundos".

© Aly Song / Reuters

Numa referência aos atos cometidos pelo império japonês no decurso do conflito mundial, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, apelou durante um discurso comemorativo do 70.º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial a que as gerações futuras sejam isentadas deste exercício de condolências e de desculpas oficiais.

Numa nota publicada na sua página da Internet, o Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês exigiu "desculpas sinceras" ao responsável nipónico, na primeira reação oficial de Pequim às declarações de Shinzo Abe.

Sem citar o chefe do Governo nipónico, o Ministério dos Negócios Estrangeiros refere ter tido conhecimento "da declaração do dirigente do Japão" e acrescenta que o vice-ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Zhang Yesui, exprimiu a "posição firme" de Pequim sobre este assunto ao embaixador do Japão na China, Masato Kitera.

O discurso de Abe foi analisado cuidadosamente, pelo facto de as recordações da invasão japonesa que começou da década de 1930, com situações particularmente sangrentas, e até à capitulação nipónica em 1945, constituem ainda um tema muito sensível para o povo chinês.

Lusa

  • "Fiquei absolutamente perplexo com a escolha de Elina Fraga"
    0:43

    País

    Rogério Alves diz que ficou perplexo com a escolha de Elina Fraga para a vice-presidência do PSD. Em declarações à TSF e Diário de Notícias, o antigo bastonário da Ordem dos Advogados lembra as divergências com o governo de Passos Coelho, sobretudo em matérias de justiça.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07