sicnot

Perfil

Mundo

Desflorestação na Amazónia brasileira diminuiu 82% em dez anos

A desflorestação na Amazónia brasileira diminuiu 82% entre 2004 e 2014, de 27.772 quilómetros quadrados para 5.012, divulgaram hoje os ministros da Ciência e Tecnologia, Aldo Rebelo, e Meio Ambiente, Isabella Teixeira.

© STRINGER Brazil / Reuters

Já a redução da desflorestação no último ano analisado, entre agosto de 2013 e julho de 2014, foi de 15%.

O levantamento foi executado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), baseado em dados do Projeto de Monitorização do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes), numa área que engloba nove estados brasileiros.

"Do ponto de vista da ação do Governo, é importante destacar que nós temos não só que coibir o crime, mas preveni-lo, evitar que a floresta seja derrubada", afirma Isabella Teixeira, numa divulgada pelo Governo.

O sistema Prodes usa 214 imagens de satélite e considera a desflorestação de áreas superiores a 6,25 hectares com remoção completa da cobertura florestal.

A ministra brasileira realçou que o país tem como meta para 2020 diminuir a desflorestação para 3.915 quilômetros quadrados.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".