sicnot

Perfil

Mundo

John Kerry falou diretamente para os cubanos

John Kerry falou diretamente para os cubanos

O hastear da bandeira da embaixada dos Estados Unidos na capital cubana, Havana, representou, esta sexta-feira, um momento histórico. A cerimónia aconteceu foi presidida pelo chefe da diplomacia norte-americana, John Kerry, que, no discurso de reaproximação, fez questão de falar diretamente para os cubanos.

  • Momento histórico com hastear da bandeira da embaixa dos EUA em Cuba
    0:31

    Mundo

    O hastear da bandeira da embaixada dos Estados Unidos na capital cubana, Havana, representou, esta sexta-feira, um momento histórico. A cerimónia aconteceu foi presidida pelo chefe da diplomacia norte-americana, John Kerry. O momento simbólico resulta do processo de aproximação iniciado no final do ano passado. Após vários meses de negociações, os dois países decidiram reatar as relações diplomáticas suspensas ha mais de 50 anos.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.