sicnot

Perfil

Mundo

UE diz que mundo enfrenta "a pior crise de refugiados" desde a II Guerra Mundial

O mundo enfrenta "a pior crise de refugiados" desde a II Guerra Mundial e a Europa deve contribuir para a resolver de uma forma "decente e civilizada", afirmou esta sexta-feira o comissário europeu para as Migrações, Dimitris Avramopoulos.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuters

"O mundo encontra-se hoje perante a pior crise de refugiados desde II Guerra Mundial", disse o comissário numa conferência de imprensa em Bruxelas.

A Europa "não tem sabido gerir o importante fluxo de pessoas que procuram refúgio nas nossas fronteiras", prosseguiu o comissário, frisando que a Europa foi construída sobre o princípio da "solidariedade com os que precisam".

"São seres humanos, pessoas desesperadas. Precisam da nossa ajuda e do nosso apoio", afirmou.

"O que temos de fazer (...) é organizar o nosso sistema para enfrentar este problema de uma forma decente e civilizada, à maneira europeia", disse, referindo a situação "especialmente urgente" da Grécia, mas também a de outros países, como a Itália e a Hungria.

A Comissão Europeia apresentou em maio uma proposta de distribuição dos refugiados pelos Estados membros da União Europeia, para aliviar os países a cujas fronteiras chega o maior número de imigrantes e refugiados, mas a proposta foi recusada pelos líderes europeus.

A Grécia recebeu só em julho 50.000 candidatos a asilo, quase dez vezes mais que os 6.000 de julho de 2014, sublinhou o comissário.

Avramopoulos esteve esta semana em Atenas e na ilha grega de Kos, no Mar Egeu, onde o grande afluxo de refugiados sírios e afegãos e a falta de locais para os acolher têm provocado tensões, e prevê deslocar-se em breve à Turquia, de onde partem diariamente centenas de migrantes com destino às costas gregas.

Nos "próximos dias", Avramopoulos vai também visitar Calais, no norte de França, onde centenas de imigrantes que pretendem ir para o Reino Unido tentam entrar no Eurotúnel para atravessar o Canal da Mancha, tentativas que resultam frequentemente em morte.

O comissário reconheceu também que a Hungria é "um dos países mais expostos", como a Grécia e a Itália, desde que há vários meses a rota dos Balcãs é preferida por muitos dos refugiados da Síria e do Afeganistão. Só em julho, afirmou, a Hungria recebeu 35.000 pedidos de asilo.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.