sicnot

Perfil

Mundo

UE diz que mundo enfrenta "a pior crise de refugiados" desde a II Guerra Mundial

O mundo enfrenta "a pior crise de refugiados" desde a II Guerra Mundial e a Europa deve contribuir para a resolver de uma forma "decente e civilizada", afirmou esta sexta-feira o comissário europeu para as Migrações, Dimitris Avramopoulos.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuters

"O mundo encontra-se hoje perante a pior crise de refugiados desde II Guerra Mundial", disse o comissário numa conferência de imprensa em Bruxelas.

A Europa "não tem sabido gerir o importante fluxo de pessoas que procuram refúgio nas nossas fronteiras", prosseguiu o comissário, frisando que a Europa foi construída sobre o princípio da "solidariedade com os que precisam".

"São seres humanos, pessoas desesperadas. Precisam da nossa ajuda e do nosso apoio", afirmou.

"O que temos de fazer (...) é organizar o nosso sistema para enfrentar este problema de uma forma decente e civilizada, à maneira europeia", disse, referindo a situação "especialmente urgente" da Grécia, mas também a de outros países, como a Itália e a Hungria.

A Comissão Europeia apresentou em maio uma proposta de distribuição dos refugiados pelos Estados membros da União Europeia, para aliviar os países a cujas fronteiras chega o maior número de imigrantes e refugiados, mas a proposta foi recusada pelos líderes europeus.

A Grécia recebeu só em julho 50.000 candidatos a asilo, quase dez vezes mais que os 6.000 de julho de 2014, sublinhou o comissário.

Avramopoulos esteve esta semana em Atenas e na ilha grega de Kos, no Mar Egeu, onde o grande afluxo de refugiados sírios e afegãos e a falta de locais para os acolher têm provocado tensões, e prevê deslocar-se em breve à Turquia, de onde partem diariamente centenas de migrantes com destino às costas gregas.

Nos "próximos dias", Avramopoulos vai também visitar Calais, no norte de França, onde centenas de imigrantes que pretendem ir para o Reino Unido tentam entrar no Eurotúnel para atravessar o Canal da Mancha, tentativas que resultam frequentemente em morte.

O comissário reconheceu também que a Hungria é "um dos países mais expostos", como a Grécia e a Itália, desde que há vários meses a rota dos Balcãs é preferida por muitos dos refugiados da Síria e do Afeganistão. Só em julho, afirmou, a Hungria recebeu 35.000 pedidos de asilo.

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • EUA negam ter declarado guerra à Coreia do Norte

    Mundo

    Os Estados Unidos negaram esta segunda-feira ter declarado guerra à Coreia do Norte e frisaram que Pyongyang não pode disparar contra os seus aviões em águas internacionais, em resposta a uma ameaça do ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.