sicnot

Perfil

Mundo

Violentos combates matam entre 150 e 200 no norte da Líbia

Violentos combates em Syrte (norte da Líbia) entre os 'jihadistas' do grupo Estado Islâmico (EI) e homens armados locais causaram entre 150 e 200 mortos, afirmou hoje o embaixador líbio em Paris.

© Goran Tomasevic / Reuters

"Ocorreu um verdadeiro massacre em Syrte e apelamos à comunidade internacional para intervir", disse à agência France Presse (AFP) o embaixador, Chibani Abuhamoud.

Antes, um responsável local tinha indicado à AFP que os combates entre habitantes armados e 'jihadistas' do EI tinham causado dezenas de mortos e de feridos nos últimos quatro dias, sem dar um balanço preciso. Também não conseguiu referir a causa dos confrontos.

"Syrte vive uma verdadeira guerra desde terça-feira e a luta feroz entre os combatentes da cidade e o EI nunca parou", disse aquele responsável que não quis ser identificado.

Desde a queda do regime de Muammar Kadhafi em 2011, a Líbia tem sido palco de combates sangrentos entre grupos armados rivais.

O país tem dois governos, um em Tripoli sob controlo de uma coligação de milícias em parte islamitas, e o outro exilado no leste, reconhecido pela comunidade internacional.

Atualmente a Líbia tem ainda de enfrentar a ascensão do EI, que tomou controlo de Syrte em junho.

Na terça-feira, o governo de Tripoli anunciou o lançamento de uma "operação para libertar Syrte". O Ministério da Defesa precisou que "os jovens e os habitantes de Syrte" participavam na ofensiva, apoiados por ataques da aviação.

Segundo o embaixador Chibani Abuhamoud, do governo reconhecido pela comunidade internacional, os combates em Syrte começaram depois do assassínio pelo EI do xeque Khaled Al-Farjane, um imã (líder religioso islâmico) da influente tribo dos Al-Farjane.

A organização 'jihadista' "encaminhou reforços para Syrte e lançou uma ofensiva contra os bairros residenciais que lhe resistem", afirmou o embaixador.

Num comunicado divulgado na rede social Facebook na quinta-feira, o governo líbio exilado criticou as grandes potências por usarem "dois pesos e duas medidas" no que se refere à luta contra os 'jihadistas'.

"Combatem o EI na Síria e no Iraque e fecham os olhos à sua presença" na Líbia, disse.

Lusa

  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • Duas pessoas alvejadas devido a disputa de linha de água em Cabeceiras de Basto
    1:23

    País

    Duas pessoas foram alvejadas por causa de uma disputa de uma linha de água, esta terça-feira, em Cabeceiras de Basto. O suspeito escondeu-se num barracão, mas acabou por ser detido pela GNR. As vítimas sofreram ferimentos ligeiros no braço e no peito. O tenente André Rodrigues, do Comando de Braga, revelou que os disparos foram feitos com uma caçadeira.

  • Governo quer entregar OE 2018 a 13 de outubro
    1:33
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.

  • Três irmãos resgatados dos escombros em Itália
    1:24
  • Participante no incidente em Charlottesville teme pela vida
    1:43

    Mundo

    Um dos participantes nos incidentes em Charlottesville e membro de um grupo de extrema-direita supremacista teme vir a ser detido ou até morto, pelas declarações que fez durante uma reportagem da Vice News, que se tornou viral nas redes sociais.