sicnot

Perfil

Mundo

EUA emitem "alerta de segurança" devido a criminalidade na Venezuela

A Embaixada dos Estados Unidos em Caracas emitiu hoje um "alerta de segurança", recordando aos cidadãos norte-americanos que persiste a criminalidade na Venezuela e recomendando que reforcem a sua segurança pessoal durante a sua estada no país.

© Desmond Boylan / Reuters

"A Embaixada dos EUA em Caracas relembra a todos cidadãos norte-americanos que continua a ameaça criminosa à volta de Caracas", refere o documento publicado, em inglês, na página de Internet da Embaixada.

Segundo a nota "a recente morte de um membro da comunidade norte-americana em Caracas demonstra que a Venezuela continua a ser um dos países mais perigosos do mundo".

O comunicado explica que entre os alvos dos criminosos estão "as áreas mais ricas de Caracas, incluindo aquelas onde residem ou as que são visadas regularmente por muitos cidadãos norte-americanos".

"Apelamos a que todos os cidadãos norte-americanos revejam a sua sensibilidade para a segurança pessoal e mantenham um estado de alerta em Caracas e em toda a Venezuela", acrescenta o documento.

Na segunda-feira, 10 de agosto, o advogado norte-americano John Pate, de 71 anos, foi assassinado na sua residência, a leste de Caracas.

Foi atacado por desconhecidos que feriram gravemente a sua mulher.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15